Transpetro – Contador Jr. – Cesgranrio

Olá, pessoal. No caso de uma mudança na qualidade da informação, deve-se levar em conta que []] [Editar] Go:

55 Uma linha aérea para uma frota de cinco aeronaves para o aluguel de voos executivos . Cada aeronave foi adquirida por R $ 7 milhões. Devido à exigência da agência reguladora da aviação, a empresa deve rever sua aeronave a cada cinco anos de uso. A estimativa da entidade é que a revisão de cada aeronave equivale a 5% do valor de aquisição. No final do exercício de 2016, a frota teve dois anos e meio de uso. (19459004) (A) deve avaliar a probabilidade da saída de recursos para reconhecer um passivo contingente.
(B) deve reconhecer uma provisão no valor de R $ 875.000,00 (19459004] (C) deve reconhecer uma provisão no valor de R $ 1.750.000,00.
(D) não deve reconhecer a provisão devido à dificuldade de estimativas confiáveis.
(E) não. e no caso de uma mudança na qualidade de vida de pessoas, contingentes e ativos contingentes

. "13 Esta Norma Técnica distingue entre:
(a) provisões – que são reconhecidas como passivo (presumindo que uma estimativa confiável pode ser feita) porque são obrigações presentes e é provável que uma saída de recursos que incorporam benefícios econômicos seja necessária para liquidar a obrigação, e
(b) passivos contingentes – que não são reconhecidos como passivos porque são:
(i) possíveis obrigações, uma vez que ainda é necessário confirmar se a entidade tem uma obrigação presente que poderia levar a uma saída de recursos que incorporam benefícios econômicos, ou
(ii) apresentar obrigações que não cumprem as obrigações critérios de reconhecimento desta Norma Técnica (porque não é provável que uma saída de recursos que incorporem benefícios econômicos seja necessária para liquidar a obrigação, ou uma estimativa não pode n valor suficientemente fiável da obrigação). "(Citação do pronunciamento CPC 25)

Ocorre que, nas duas hipóteses anteriores (Provisões ou Passivos Contingentes), existe uma obrigação presente, neste caso (quando a obrigação presente existe), a empresa avalia a probabilidade de que os recursos para reconhecer um passivo contingente (se possível) ou uma provisão (se provável).

Na situação descrita aqui, não há obrigação presente

Vamos olhar um pouco mais no CPC 25 – Provisões, Passivos Cotas e Ativos Contingentes:
"Exemplo 11A – Custo de Aposentadoria – Nenhum requisito legal
Um forno tem um revestimento que precisa ser substituído a cada cinco anos por motivos técnicos. Na data do balanço, o revestimento foi usado por três anos.
Obrigação presente como resultado do evento passado que gera obrigação – Não há nenhuma obrigação presente.
Conclusão – Nenhuma provisão é reconhecida (ver parágrafos 14 e 17 a 19). O custo de substituir o tapume não é reconhecido porque, na data do balanço, não há obrigação de substituir o tapume existente, independentemente das ações futuras da empresa, embora a intenção de incorrer no desembolso dependerá da decisão da empresa. continue operando o forno ou substitua o revestimento. Em vez de uma provisão que é reconhecida, a depreciação do forro leva em conta seu consumo, ou seja, ele se deprecia em cinco anos. Os custos do novo revestimento, quando incorridos, são capitalizados e o consumo de cada novo revestimento é capturado pela depreciação ao longo dos próximos cinco anos. "

Outro exemplo de CPC 25:
" Exemplo 11B – Custo de Retirada
Uma companhia aérea é obrigada por lei a inspecionar sua aeronave a cada três anos.
Obrigação presente como resultado do evento passado que gera obrigação – Não há nenhuma obrigação presente.
Conclusão – Nenhuma provisão é reconhecida (ver parágrafos 14 e 17 a 19). Os custos de inspecção da aeronave não são reconhecidos como uma provisão pelas mesmas razões de não reconhecimento de provisão para custos de substituição do revestimento do exemplo 11A. Mesmo o requisito legal para realizar a inspeção não torna os custos de inspeção um passivo, porque não existe obrigação de inspecionar a aeronave, independentemente das ações futuras da entidade – a entidade poderia evitar desembolsos futuros para suas ações futuras, por exemplo, venda da aeronave. Em vez de a provisão ser reconhecida, a depreciação da aeronave leva em consideração a incidência futura de custos de manutenção, ou seja, um valor equivalente aos custos de manutenção esperados será depreciado ao longo de três anos. "

Caro examinador, o segundo exemplo (da aeronave) é muito semelhante à questão 55. Se a revisão deve ser feita a cada cinco anos e a aeronave tem dois anos e meio, não há obrigação presente, embora a entidade pretenda manter

Lembramos que, de acordo com o CPC, a entidade poderia evitar desembolsos futuros para suas ações futuras, por exemplo, vendendo a aeronave. desembolso futuro é uma possibilidade, e não uma obrigação presente

Assim, solicitamos a MODIFICAÇÃO do modelo, para reconhecer como correta a letra E.

—– xxx —– [

Um abraço

Luciano Rosa

Caro, mude, não "copie e cole"

Baixe agora seu curso em:

Estratégia Concursos

%d blogueiros gostam disto: