Teste antecipado de jogos animam gamers na BGS 2018

A oportunidade de ver de perto um jogo que será lançado em 2019 é um dos grandes atrativos da Brasil Game Show (BGS), a maior feira de videogames da América Latina. Em sua 11ª edição, o evento conta com as maiores marcas do mercado de jogos eletrônicos do mundo – Sony (Playstation), Microsoft (Xbox) e Nintendo (Nintendo Switch) -, que trazem consigo alguns dos títulos mais visados pelos fãs. É o caso do game The Division 2, que ficou no estande do Xbox, e só entrará no mercado em março do ano que vem, ou de Days Gone, que estava disponível no estande da Playstation e poderá ser adquirido em sua versão final no próximo fevereiro.

A oportunidade de ver de perto um jogo que será lançado em 2019 é um dos grandes atrativos da Brasil Game Show (BGS), a maior feira de videogames da América Latina

Foto: Matheus Riga / Terra

O game The Division 2, produzido pelo estúdio Ubisoft, foi um dos games que chamaram a atenção de Fabiano Ferreira. O desenhista de 31 anos saiu de sua cidade natal Ourinhos, no interior do estado de São Paulo, para testar o jogo, que se passa em um futuro distópico na cidade de Washington, nos Estados Unidos. “Eu já tinha jogado o primeiro, o The Division, e jogar o The Division 2 era o meu foco”, diz. “Um dos motivos pelos quais eu vim até a BGS era testar, experimentar os jogos com antecedência.” Segundo ele, ter a possibilidade de dar uma olhada em como o jogo ficou foi uma experiência muito positiva.

O jogo The Division 2, que deve ser lançado em 2019, está aberto para testes do público na BGS 2018; o game se passa em um futuro distópico, na cidade de Washington, nos EUA

O jogo The Division 2, que deve ser lançado em 2019, está aberto para testes do público na BGS 2018; o game se passa em um futuro distópico, na cidade de Washington, nos EUA

Foto: Guilherme Rodrigues / Futura Press

Os lançamentos recentes também são visados pelo público da BGS. O novo jogo do Homem-Aranha, Marvel’s Spider-Man, exclusivo para o Playstation 4, ou o décimo primeiro título da saga Asssassin’s Creed da UbisoftAsssassin’s Creed: Odyssey, são games que foram postos à venda nos últimos meses e, para quem não conseguiu adquiri-los, a feira de videogames foi a oportunidade de conseguir testá-los.

Assassin’s Creed:Odyssey foi o jogo visado pelo consultor técnico Alessandro Moraes em sua primeira vez na BGS. “É uma série de jogos que eu acompanho desde sempre, e jogo sempre”, afirma. “O gráfico desse novo jogo está muito legal.” Com 41 anos e inserido no mundo dos games desde o lançamento do Atari, Moares diz que a experiência de testar o jogo em uma tela maior e em um ambiente mais amplo foi muito interessante.

O game recém-lançado Assassin's Creed: Odyssey pode ser testado na BGS 2018

O game recém-lançado Assassin’s Creed: Odyssey pode ser testado na BGS 2018

Foto: Matheus Riga / Terra

Enquanto alguns conseguiram testar os jogos, outros visitantes da BGS tiveram que aguardar filas para vivenciar a mesma experiência. No estande da Playstation, por exemplo, caso a pessoa não tivesse agendado um horário por meio de um aplicativo da empresa, era necessário ficar em uma espera, caso vagasse algum horário. No estande da rival Xbox, os gamers só precisavam aguardar a sua vez chegar, sem precisar marcar horário.

O designer gráfico Bruce Arbex, que estava no ambiente da Sony, não entrou na plataforma de agendamento e ficou na fila para checar o game Sekiro: Shadows Die Twice, que vai ser lançado em março de 2019. “Quando eu vi que teria como jogar Sekiro, eu fiquei bem feliz, era um game que eu queria muito jogar”, diz. “Eu sou muito fã da FromSoftware e do diretor Miyazaki, e ficar com o controle na mão para testar vai ser muito maneiro.”

No estande da Playstation, ou você agendava um horário para testar os jogos, ou esperava na fila

No estande da Playstation, ou você agendava um horário para testar os jogos, ou esperava na fila

Foto: Matheus Riga / Terra

As filas podem desencorajar parte dos visitantes para testar os jogos, mas outros não vão para a BGS com esse objetivo. “Eu nunca venho com a intenção de jogar nada, geralmente eu venho para ver yotubers, ou passeando pelos estandes”, diz o estudante Henrique Menezes. “O evento é uma experiência única, com várias plataformas juntas, é muito bom para ficar andando e olhando.” Em sua segunda vez na BGS, ele diz que o único momento em que ele se preocupa em ver algum tipo de game, diz, é quando ele se depara com algum jogo que nunca jogou. Mas, para isso, ele nem pega fila, apenas fica observando os outros jogarem nos espaços destinados para os testes.


Veja também:

E-sports é esporte de verdade? YouTuber responde

Equipe Vivo Keyd dá dicas de “como viver de e-sports”

 

Fonte: PORTAL TERRA – GAMES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *