Spotify se prepara para sessão difícil em sua estreia em Wall Street

Cenário aparenta estar potencialmente difícil após a forte queda em ações de tecnologia na véspera

Por
Reuters

access_time

3 abr 2018, 09h59

Londres/Nova York – O líder de streaming de música Spotify parece estar se preparando para uma sessão potencialmente difícil em sua estreia no mercado acionário nesta terça-feira, após a forte queda em ações de tecnologia na véspera em Wall Street.

Em uma carta pública divulgada antes se seu processo de listagem não usual em Nova York, o presidente-executivo Daniel Ek alertou funcionários e fãs de que “às vezes nós somos bem-sucedidos, às vezes nos tropeçamos” e disse não ter dúvida “de que haverá altos e baixos”.

Apesar disso, em um negociação informal na segunda-feira, a precificação das ações do Spotify pareceu se sustentar, trocando de mãos por cerca de 132 dólares por ação, o que avaliaria a empresa em mais de 23 bilhões de dólares.

Em fevereiro, as ações eram avaliadas em cerca de 20 bilhões de dólares, com base em transações privadas de ações entre investidores existentes.

“Nada acontece nunca em linha reta – os últimos 10 anos têm certamente me ensinado isso”, escreveu Ek, co-fundador da empresa sueca, em um blog na noite de segunda-feira.

Desde o lançamento de seu serviço de streaming, há uma década, a empresa fundada em Estocolmo superou a resistência pesada de grandes gravadoras e importantes artistas para transformar a forma como a indústria gera dinheiro.

O Spotify oferece acesso a vastos arquivos de música em vez de fazer com que os usuários paguem por CDs ou downloads de álbuns ou faixas individuais.

A empresa estruturou sua listagem no mercado para permitir que atuais investidores vendam diretamente ao público enquanto não oferece ações próprias, em um caso inédito sendo acompanhado de perto por outras empresas de tecnologia sem necessidade imediata de levantar recursos.

Ao deixar de contratar bancos de investimento como subscritores ou não manter eventos tradicionais de promoção com investidores institucionais, isso poderia levar a extrema volatilidade de negociação quando a operação formal começar, dizem analistas.

O preço público de abertura será determinado por ordens de compra e venda coletadas pela Bolsa de Nova York de corretores, disse a bolsa.

Créditos: Exame

%d blogueiros gostam disto: