Rockets chega aos playoffs bem acima dos rivais Cavaliers e Warriors – 14/04/2018 – Esporte

Os playoffs da NBA, que começam neste sábado (14), com quatro jogos, poderão mudar um cenário que se tornou rotina nas últimas três temporadas da mais badalada liga de basquete: o duelo entre Cleveland Cavaliers, de Lebron James, e Golden State Warriors, de Stephen Curry, pelo título da competição. 

Desde a final de 2015 as franquias duelam pelo título, com dois triunfos do Golden State e um do Cleveland.

Mas, a tomar como base o que ocorreu ao longo da temporada regular, encerrada na última quarta-feira (11), o Houston Rockets entra como maior favorito para quebrar este verdadeiro duopólio das quadras. Muito em razão do talento de James Harden.

Em sua nona temporada na NBA (e sexta com a camiseta do time do Texas), Harden vive seu melhor momento. Aos 28 anos, o armador de 1,96 m terminou a temporada regular como o principal cestinha da competição, com média de 30,4 pontos por partida. Ele é o segundo maior pontuador da história da franquia, superado apenas por Moses Malone, que, na temporada 1981/1982, anotou 31,1 pontos por partida.

Ele também se destaca em outras estatísticas, como assistências (terceiro colocado geral) e chutes de três pontos convertidos (primeiro).

Todos estes números acabaram resultando no ótimo desempenho da equipe, que encerrou a temporada regular com a melhor campanha entre todos os times, com 65 vitórias e 17 derrotas (79,3% de aproveitamento).

Nunca em sua história o Houston, que conquistou seu último título em 1994/1995, teve um desempenho tão bom na fase de classificação.

Harden, por sinal, é o favorito a receber o prêmio de MVP (jogador mais valioso) da temporada regular. Inclusive conta com apoio de um de seus adversários na disputa.

“Ele levou seu jogo a outro nível, assim como ajudou a subir o do próprio Houston. Está sendo ótimo vê-lo jogar. Ele merece o prêmio”, afirmou o armador Stephen Curry, do Golden State.

O desempenho de Harden tem encantado seu treinador, Mike D’Antoni. “É o melhor jogador ofensivo que já vi. Mas é também um atleta completo, com uma combinação de outras qualidades”, afirmou.

Rivais

A ótima fase de armador do Houston acabou ofuscando até mesmo a bela temporada que LeBron James vem cumprindo com o Cleveland Cavaliers. Aos 33 anos, ele inicia os playoffs embalado por ótimos números —terceiro principal cestinha da liga e segundo em assistências— e também graças a um recorde pessoal. Pela primeira vez em 15 temporadas, ele disputou todos os 82 jogos da desgastante temporada regular.

Mas o brilho de LeBron não se reflete no Cleveland, que ficou apenas em quarto lugar na Conferência Leste (61% de aproveitamento). Isso provavelmente o obrigará a ter um indesejado confronto com o Toronto Raptors, dono da melhor campanha na conferência (72%), já na segunda fase dos playoffs.

A situação da outra grande estrela da NBA é ainda pior. Após ficar seis jogos afastado por uma lesão no tornozelo direito, o armador Stephen Curry, do Golden State, voltou a se lesionar no final de março. Ele teve uma entorse no ligamento colateral do joelho esquerdo e deverá ser liberado pelos médicos apenas na segunda fase dos playoffs. 

A grande dúvida é se o Golden State Warriors contará com Curry em condições ideais de repetir as atuações brilhantes de anos anteriores, num playoff que tem ainda Russell Westbrook, do Oklahoma City Thunder, como destaque. Ele foi o primeiro jogador da história a terminar duas temporadas com média de triplo-duplo (dez ou mais pontos, rebotes e assistências).

Nenê busca quarto título da NBA para o Brasil

O Houston Rockets vem contando com a ajuda de um brasileiro em sua ótima campanha na atual temporada da NBA. Aos 35 anos, o experiente pivô Nenê Hilário tornou-se uma importante peça no esquema do técnico Mike D’Antoni. Após 15 temporadas na liga, ele tem chances reais de conquistar seu primeiro título.

Caso isso ocorra, entrará numa seleta lista que conta com Thiago Splitter (San Antonio Spurs/2014), Leandrinho (Golden State Warriors/2015) e Anderson Varejão (Golden State Warriors/2017).

Os números demonstram a importância de Nenê na equipe. Mesmo atuando pouco menos de 15 minutos por partida, tem um aproveitamento de quase 57% dos arremessos e mais de 60% nos lances livres.

D’Antoni enxerga mais do que números em relação a Nenê. O treinador costuma elogiar a leitura de jogo do brasileiro, que acaba se destacando no esquema ofensivo do Houston.

A lesão na virilha sofrida por Nenê no playoff contra o San Antonio Spurs, na última temporada, foi apontada como decisiva para a eliminação da equipe, segundo D’Antoni.

Outros brasileiros

Além de Nenê Hilário, mais dois jogadores brasileiros estarão em ação nos playoffs da NBA.

O pivô Lucas Nogueira, o Bebê, defende o Toronto Raptors, dono da melhor campanha na Conferência Leste (59 vitórias e 23 derrotas). Neste sábado (14), a equipe canadense estreia em casa diante do Washington Wizards.

“Nos playoffs começa outro campeonato, é outra atmosfera, outro tipo de pressão. Todo o nosso foco está no Wizards, uma equipe de qualidade e perigosa”, disse Nogueira.

No domingo (15), o armador Raulzinho, do Utah Jazz, fará sua estreia fora de casa, diante do Oklahoma City Thunder. “Detalhes vão fazer a diferença. Utah e Oklahoma fizeram campanha iguais e o objetivo é tentar trazer pelo menos um bom resultado desses dois primeiros jogos fora de casa”, afirmou o armador.

 

Créditos: Folha

%d blogueiros gostam disto: