Pressão nos minutos iniciais é a principal arma do Palmeiras – 06/04/2018 – Esporte

Abafar o Corinthians desde o início e tentar marcar um gol até os 15 minutos do primeiro tempo. Essa deve ser a estratégia do técnico Roger Machado para o Palmeiras conquistar o título do Paulista no próximo domingo (8). 

Pelo menos foi assim que a equipe alviverde obteve sucesso em cinco dos sete clássicos disputados até agora. 

Com gols marcados logo no início do confronto, o time venceu o Santos na fase de classificação (2 a 1) e no primeiro jogo da semifinal do Estadual (1 a 0), o São Paulo na penúltima rodada da primeira fase (2 a 0) e o Corinthians no último sábado (1 a 0). Outras vítimas da estratégia palmeirense foram o Novorizontino e o Alianza Lima.

“A gente assumiu essa característica [de tentar o gol no começo] por ter jogadores que podem propor um jogo de pressão à defesa adversária, que faz com que a gente consiga roubar a bola perto do gol ou faça ela ir quebrada para a frente”, afirmou o técnico Roger Machado

“É uma característica que eu gosto nas minhas equipes, de começar o jogo de forma intensa”, completou. 

O treinador vê ainda um benefício extra de sair na frente do placar. Segundo ele, o gol no início da fragiliza o adversário emocionalmente.

Quando tem sucesso na pressão inicial, o Palmeiras muda o seu comportamento. O time passa a marcar a partir da intermediária. O objetivo é roubar a bola e sair rápido nos contra-ataques. 

No primeiro jogo da final contra o Corinthians, o clube alviverde tentou neutralizar as principais jogadas do rival utilizando essa estratégia. 

“O gol logo no início nos deu o tom. Reforçamos nossa estratégia de marcar as principais ações do Corinthians, e conseguimos com êxito”, disse Roger, após a partida do último sábado.

Por outro lado, o clube alviverde foi derrotado nos dois clássicos em que saiu atrás no placar. Foi assim diante do próprio Corinthians (2 a 0, na primeira fase) e contra o Santos (2 a 1, no jogo de volta da semifinal do Paulista).

DESFALQUES

Para o duelo do próximo domingo, Roger terá todos os jogadores à disposição, com exceção de Felipe Melo, expulso na primeira partida.

O treinador disse que Moisés deve ser o substituto. Com isso, ele pretende manter qualidade na saída de bola, característica de Melo. 

Se optasse por Thiago Santos, o Palmeiras ganharia mais poder de marcação. 

Já o Corinthians não terá o atacante Clayson, outro que recebeu o cartão vermelho no jogo de ida da decisão.

O técnico Fábio Carille deverá colocar Romero no lugar do atacante. Jadson, que ficou no banco na derrota para o Palmeiras, pode ganhar a vaga de Emerson Sheik. 

Com a vitória no jogo de ida por 1 a 0, o Palmeiras precisa de ao menos um empate no Allianz Parque para conquistar o título pela primeira vez desde 2008. Já o Corinthians tem que vencer por dois gols de diferença para ser campeão, ou por um para levar a decisão para os pênaltis.

Créditos: Folha

%d blogueiros gostam disto: