Petrobras diz que terá prejuízo se importar diesel com metodologia da ANP

Posição é de que cálculo do preço de referência proposto pelo governo gera valor inferior ao de importação, inibindo as empresas de trazer o produto de fora

Por
Estadão Conteúdo

access_time

17 ago 2018, 19h13 – Publicado em 17 ago 2018, 19h11

Rio – Gerente de Marketing e Comercialização da Petrobras, Guilherme França afirmou que não vê racionalidade econômica na metodologia de cálculo do preço de referência proposto pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para balizar o programa de subvenção do óleo diesel.

“Na região Sudeste e Centro-Oeste, a situação é mais grave ainda. Tenho dúvida se teria autorização da diretoria para importar com risco de prejuízo”, afirmou França, em audiência pública da agência reguladora para recolher opinião do mercado sobre a metodologia proposta.

Entre os participantes, a posição unânime é de que a metodologia proposta pela ANP gera um preço inferior ao de importação, o que inibe as empresas a trazer o produto de fora. Com isso, há um risco de desabastecimento do mercado interno, porque as refinarias da estatal não são capazes de atender toda demanda, segundo França.

Também presente à audiência, o presidente da Abicom, Sérgio Araújo, representante das empresas importadoras disse ainda que a fórmula proposta pela ANP sinaliza aos investidores que não vale a pena entrar no mercado nacional.

“Nenhum investidor tem segurança de colocar dinheiro nessa condição. Essa proposta pode condenar o Brasil a parar de crescer”, disse Araújo.

http://platform.twitter.com/widgets.js(function(d){var id=”facebook-jssdk”;if(!d.getElementById(id)){var js=d.createElement(“script”),ref=d.getElementsByTagName(“script”)[0];js.id=id,js.async=true,js.src=”https://connect.facebook.net/pt_BR/all.js”,ref.parentNode.insertBefore(js,ref)}})(document)

Fonte: Exame

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *