‘Não acreditavam no que o Internacional poderia fazer’

Victor Cuesta chegou ao Internacional na temporada passada, quando o time ainda estava na Série B. Conseguiu promoção para a elite e ajudou o Colorado a se classificar para a próxima Taça Libertadores. Nesta segunda-feira, o zagueiro, reconhecido como o melhor zagueiro do Brasileirão em cerimônia organizada pela CBF, faz um balanço do ano.

Argentino foi um dos melhores zagueiros do Brasileirão (Foto: Divulgação/CBF)

Foto: LANCE!

– A gente lembra lá do começo, foi difícil, a gente não tinha começado bem, e hoje conseguimos demonstrar nossa força. Fico muito feliz pelo prêmio e queria agradecer aos meus companheiros, ao grupo inteiro, a todos a pessoas que trabalham no Internacional, porque trabalhamos muito forte e fizemos um grande ano – bradou.

O começo difícil – como o próprio citou – e a desconfiança por ter vindo do segundo escalão do futebol brasileiro trouxeram uma desconfiança no Inter, que conseguiu dar a volta por cima e terminou o Campeonato Brasileiro em terceiro lugar.

– Também tem que falar a verdade. Muita gente não acreditava no que o Internacional poderia fazer, e a gente brigou até três ou quatro rodadas para o final pelo título, infelizmente escapou, mas o trabalho foi muito bem feito. Fica esse gostinho que a gente não conseguiu (o título), mas a tranquilidade e a dedicação do grupo dentro e fora de campo, porque o grupo se comportou muito bem – disparou.Em termos individuais, Victor Cuesta vem tomando conta da defesa da equipe desde o ano passado e, nesta temporada, fez parte da terceira menos vazada do Brasileirão, ao lado do Flamengo, concedendo apenas 29 gols nas 38 rodadas da competição.

– Eu espero continuar da mesma maneira. Foi meu primeiro ano na elite do futebol brasileiro, então agora é descansar um pouquinho e trabalhar porque no ano que vem temos muita coisa pela frente, tem Taça Libertadores, e vai ser muito duro – completou.

O argentino voltou a destacar a superação pelas dificuldades após o retorno da Série B, elogiando o trabalho feito por todos os funcionários do clube e destacando o desejo de ser competitivo na temporada que vem, quando o Colorado retornará à Libertadores, a principal competição do continente.

– Fizemos a maior pontuação de um time voltando da Série B (na história do Brasileirão), então isso significa que a gente trabalhou muito e fez as coisas muito bem, com muita seriedade. Agora é trabalhar e aproveitar o ano que vem, porque o Internacional está aonde ele merece estar, conseguiu essa vaga na Libertadores e vamos tentar ser competitivos – afirmou.

Apesar da grande pressão, Odair Hellmann conseguiu se manter no cargo de treinador e provavelmente ficará em 2019. Cuesta destacou a continuidade do trabalho do técnico, destacando as dificuldades que outros sentiram quando estiveram nesta posição.

– É importante porque faz tempo que o Inter não segura o mesmo treinador muito tempo, então isso significa que ele fez um bom trabalho, com a nossa ajuda, da diretoria, dos funcionários do clube e o torcedor que nos acompanhou a todo momento – finalizou.

LANCE!

Fonte: PORTAL TERRA – ESPORTES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *