Moody’s: Rating do Brasil pode ser elevado com reformas estruturais

Essas reformas, de acordo com a instituição, também dariam apoio a uma consolidação fiscal mais rápida do que a atualmente esperada

Por
Victor Rezende, Mateus Fagundes e Francine De Lorenzo, do Estadão Conteúdo

access_time

9 abr 2018, 18h50

São Paulo – A agência de classificação de risco Moody’s afirmou nesta segunda-feira, 9, que o rating do Brasil pode ser elevado se novas reformas estruturais, que sustentariam taxas de crescimento mais elevadas, forem aprovadas.

Essas reformas, de acordo com a instituição, também dariam apoio a uma consolidação fiscal mais rápida do que a atualmente esperada.

No comunicado em que mantém a nota soberana brasileira em Ba2 e altera a perspectiva de negativa para estável, a Moody’s aponta que um ressurgimento da inoperância política e a paralisação da agenda de reformas “exercerão pressão negativa sobre o rating”.

Enquanto isso, o fracasso na aprovação de reformas fiscais, como a da Previdência, seria um forte indicador dessa inoperância.

Esse cenário também indicaria “fraquezas institucionais que não foram capturadas por nossa avaliação atual e exerceriam pressão negativa extra sobre as notas”.



Créditos: Exame