Inflação anualizada na Venezuela atinge 8878,1%, diz Parlamento

Alimentos básicos continuam sendo a categoria que mais pesa sobre a alta do custo de vida, segundo presidente da Comissão de Finanças do Legislativo

Por
AFP

access_time

11 abr 2018, 18h04

A inflação na Venezuela chegou a 8.878,1% nos últimos 12 meses, segundo um estudo do Parlamento de maioria opositora divulgado nesta quarta-feira (11).

De acordo com o relatório, o índice de preços em março passado aumentou 67%, abaixo dos 80% relatados pela Assembleia Nacional para fevereiro.

A inflação acumulada nos três primeiros meses de 2018 chegou a 453,7%, disse o presidente da Comissão de Finanças do Legislativo, Rafael Guzmán, em entrevista coletiva.

Os alimentos básicos continuam sendo a categoria que mais pesa sobre a alta do custo de vida – os preços praticamente duplicaram em março – acrescentou Guzmán, que prevê que “a cifra para abril vai ser muito maior”.

Desde o ano passado, o Parlamento reporta o índice inflacionário diante da falta de dados do governo do presidente Nicolás Maduro, que garante que a inflação é induzida como parte de uma “guerra econômica” para derrubá-lo.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a hiperinflação chegará a 13.000% em 2018.

Especialistas atribuem o alto custo de vida à falta de divisas – controladas pelo Estado – pela queda da receita petroleira e o elevado gasto público com emissão de dinheiro sem lastro.

A venda de divisas para importação de bens e matérias-primas está praticamente congelada pelo governo, o que estimula um mercado negro onde o dólar multiplica até por dez a cotação oficial.



Créditos: Exame