Entenda o projeto em curso que pode ‘terceirizar’ o futebol do Botafogo

No último mês de outubro, o vice-presidente de finanças do Botafogo, Luiz Felipe Novis, revelou ao LANCE! que uma “solução definitiva” estava sendo desenhada para os graves problemas financeiros do clube. Posteriormente, e mais intensamente nesta semana, o Uol e outros veículos mencionaram a intenção dos Irmãos Moreira Salles de contribuírem para a diminuição do rombo no cofre do clube. Os torcedores alvinegros também se empolgaram com a possibilidade de intervenção no departamento de futebol alvinegro. Mas é preciso ter calma. Muita calma.

Após temporada irregular, o Botafogo terminou o Brasileirão em nono lugar (Foto: Vítor Silva/SSPress/Botafogo)

Foto: Lance!

Há, concretamente, um estudo da empresa Ernst & Young em curso sobre o real e detalhado estado do clube. Tal levantamento foi contratado pelos Moreira Salles e tem previsão de término para o início do ano que vem. A partir de então, o resultado será apresentado e o melhor modelo de trabalho será proposto. Possivelmente, mais de um modelo de gestão será apresentado.

Os Irmãos Moreira Salles já haviam sido decisivos para a compra do Espaço Lonier, que vai abrigar o centro de treinamentos do time profissional e de parte das categorias de base alvinegras. E existe por parte dos Irmãos a concreta intenção de, resumidamente, comprar parte da volumosa dívida do clube em troca de, em termos ainda a serem consolidados, se responsabilizarem por eventuais resultados financeiros positivos do departamento de futebol.Em oposição às baixas receitas anuais, as dívidas do Glorioso somam R$700 milhões, aproximadamente. Deste montante, ao menos metade é de transferência viável, pelo entendimento do clube. Débitos já equacionados têm condições mais delicadas para serem mexidos.

O que se vislumbra como uma espécie de “terceirização” ou “profissionalização” do futebol botafoguense, talvez separando-se das demais áreas do clube, soa como música para ouvidos da torcida. Contudo, o sonho de ver “mecenas alvinegros” ainda está longe de ser concretizado.

Pelo tamanho da parceria e por se tratar de um projeto que pretende mudar o patamar de investimento do Botafogo, o negócio vai precisar ser discutido pelo Conselho Deliberativo do clube. Possivelmente, o estatuto também precisará ser alterado, visto, por exemplo, que a instituição da Estrela Solitária poderá ter alterações na importância e na efetiva função de cargos, hoje, políticos.

A ideia e a maior preocupação tanto do lado do clube quanto dos Irmãos Moreira Salles é que se promova uma solução. Não um paliativo que injete dinheiro, mas apenas adie os principais problemas de um clube que, atualmente, sofre para manter as contas em dia.

Lance!

Fonte: PORTAL TERRA – ESPORTES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *