DS3 Crossback: de hatch esportivo a utilitário elétrico de luxo

Reinventado, o modelo ganhou condução semiautônoma, comandos pelo celular e interior mais refinado

Por
Raphael Panaro

access_time

13 set 2018, 17h39

O azul Millenium da carroceria vem do conceito E-Tense Dream Car, mostrado no começo do ano

O azul Millenium da carroceria vem do conceito E-Tense Dream Car, mostrado no começo do ano (Divulgação/Citroën)

Lembra do Citroën DS3, aquele divertido hot hatch turbinado com 165 cv e transmissão manual de seis marchas? Pois esqueça. Na segunda geração, ele se tornou um utilitário compacto.

Como sinal dos novos tempos, o modelo ganhou o sobrenome Crossback, novas tecnologias de condução e até uma configuração totalmente elétrica (e amiga do meio do ambiente).

O que chama a atenção logo de cara, no entanto, é o design nada convencional, mas em linha com as novas diretrizes estéticas da Citroën e também da DS – agora uma marca independente.

Os faróis de Matrix LED fazem conjunto com as luzes diurnas que “escorrem” pelo para-choque. A grade e capô com vincos dão aparência robusta ao SUV de apenas 4,12 m (o Chery Tiggo 2 tem 4,20 m).

As maçanetas são ao estilo Range Rover Velar: embutidas na carroceria

As maçanetas são ao estilo Range Rover Velar: embutidas na carroceria (Divulgação/Citroën)

As lanternas avançam e encontram os vincos laterais. Elas ainda têm molduras e uma régua cromada na tampa do porta-malas. As falsas saídas de ar e as ponteiras de escapamento completam o conjunto.

O perfil ainda mantém um traço característico no primeiro DS3: o pilar B em forma de barbatana de tubarão. A carroceria tem dez diferentes cores (além de três para o teto) e dez desenhos para as rodas aro 18.

O SUV usa a plataforma CMP (Common Modular Platform). A estrutura é nada menos que a EMP1, uma variação da EMP2 usada por diversos modelos da PSA – como C4 Picasso, DS7 Crossback e o Peugeot 308.

Ela dá ao utilitário 2,55 m de distância entre-eixos, além de 1,79 m de largura e 1,53 m de altura. E o porta-malas surpreende: 352 litros. A EMP1 também servirá de base para a nova geração do Opel Corsa na Europa.

A traseira é menos ousada que a dianteira, mas tem personalidade

A traseira é menos ousada que a dianteira, mas tem personalidade (Divulgação/Citroën)

A cabine é um show à parte, com diferentes tipos de couro em padrão diamante e costuras pespontadas, painel de instrumentos digital personalizável, head-up display e central multimídia com tela de 10,3 polegadas e GPS integrado.

A lista de equipamentos é extensa e contempla dispositivos de direção semiautônoma, como o DS Drive Assist, que monitora com câmeras e radares as condições de direção e atuam na correção da trajetória.

Isso significa que o novo DS3 Crossback consegue esterçar o volante por conta própria caso identifique que o condutor está invadindo a faixa de rolamento ao lado a velocidades de 29 km/h a 180 km/h.

Há ainda o DS Park Pilot, que estaciona o veículo sem a intervenção do motorista. Conectado com os dias atuais, o motorista ainda pode dar partida e destravar as portas pelo celular com o aplicativo MyDS.

Luxo e tecnologia: interior do utilitário compacto tem uma boa pitado dos dois mundos

Luxo e tecnologia: interior do utilitário compacto tem uma boa pitado dos dois mundos (Divulgação/Citroën)

Para movimentar o SUV, a marca escolheu um motor três cilindros 1.2 litro a gasolina com diferentes potências: 100 cv, 130 cv e 155 cv. Há também uma opção com quatro cilindros 1.5 diesel para a Europa.

A transmissão é automática de oito velocidades em todos os casos. Segundo a DS, reduz em até 5% o consumo de combustível quando comparado ao câmbio de seis marchas utilizado no antigo DS3.

Em meados de 2019, o DS3 Crossback terá uma opção totalmente elétrica – antes mesmo da versão híbrida. Batizada de E-Tense, a configuração terá 136 cv e 26,1 mkgf de torque.

A novidade terá 300 quilômetros de autonomia e bastarão cinco horas para recarregar as baterias de íons de lítio no assoalho (em 30 minutos já há 80% da carga). Em questões de desempenho, são 8,7 s no zero a 100 km/h.

A primeira aparição em metal e borracha do SUV está marcada para o Salão de Paris, na França, que se realizado neste ano entre os dias 4 e 14 de outubro.

Fonte: Revista Quatro Rodas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *