“Devagar e sempre”, Ibovespa pode chegar aos 120 mil pontos, diz fundador da Vinland Capital

SÃO PAULO – “Otimista, mas cauteloso”. É assim que o co-fundador de uma gestora recente, mas com time experiente, define sua perspectiva para o Ibovespa. André Laport, que junto de James Oliveira está à frente dos negócios da Vinland Capital (ambos como co-CIO (Chief Investment Officer), participou do programa Papo com Gestor desta semana (no player acima), onde destrinchou sua filosofia alocação de investimentos e estimou a chegada do Ibovespa nos 120 mil pontos. Quando? No longo prazo, “devagar e sempre”.

Laport explicou que sua cautela vem da maior volatilidade enfrentada pelos mercados mundiais, com destaque para o presidente Donald Trump e as eleições presidenciais no Brasil e no México. 

Com maior ou menor volatilidade, sua filosofia é sempre a mesma: Laport se diz “extremamente fundamentalista”. Com isso em mente, o time experiente montado para a Vinland, com passagem por casas como BTG, Goldman Sachs,entre outras, parte da análise do cenário global e depois para as regiões, como América Latina, Estados Unidos e Europa.

Dentro desse afunilamento são observadas as oportunidades existentes e a partir disso é avaliado onde a possibilidade de ganho acima da média é maior, seja via renda variável ou fixa. Em todos os casos, uma característica importante dos ativos é a liquidez.

“A externalidade hoje em dia é muito grande em cima dos portfólios. Quando essa externalidade vem, temos que ser capazes de reagir rápido. E reagir rápido em assets sem liquidez é muito difícil. Temos sempre o pé no chão”, explica. 

Nesse sentido, Laport conta que gosta de empresas sólidas, como Azul, Ambev e Equatorial. “Temos um portfólio bastante diversificado em termos de setores e que pode mudar a qualquer momento”, conta. A Vinland tem dois fundos abertos e disponíveis na plataforma da XP Investimentos: o Vinland Long Bias Advisory e o Vinland Macro.

Vinland, o nome escolhido para a nova gestora, era o nome do lugar onde os vikings que exploraram a América do Norte se estabeleceram perto do ano 1000. O nome de natureza desbravadora reflete o ideal da gestora, que apesar de estar nos primeiros dias de vida já nasceu gigante, tendo em vista o invejável currículo de seus primeiros funcionários. 

Laport está no mercado desde 1992, esteve por 11 anos atuando no mercado internacional e foi sócio do Goldman Sachs entre 2009 e 2016, onde comandou a mesa de equities na América Latina. Também no mercado desde 1992, James Oliveira, também co-CIO da Vinland, começou a carreira no Pactual, foi head de Renda Fixa, Moedas e Commodities para América Latina do banco e após a venda ao BTG foi CEO e CIO do BTG Pactual Asset Management, saindo do banco em 2016 – assim como Laport.

O que leva um executivo a trocar um cargo tão sênior em instituições tão renomadas para criar um negócio do zero? Em entrevista ao concedida ao Papo com Gestor, Laport explica que esse foi um processo “natural” após anos de aprendizado e experiência em diferentes mercados. “O grande peso na minha decisão é que eu sou ‘uma pessoa de pessoas’”, explica Laport, explicando que sua capacidade de agrupar profissionais diferentes e colocá-los alinhados ao mesmo negócio fará da Vinland uma gestora com o mesmo DNA de sucesso das instituições que os criaram. 

Veja a entrevista completa com André Laport no vídeo abaixo:

Quer investir nos fundos Vinland Long Bias Advisory e Vinland Macro? Clique aqui e abra sua conta na XP

Papo com Gestor é um programa de entrevistas semanais apresentado por Thiago Salomão, editor-chefe do InfoMoney. O programa é fruto de uma parceria com a XP Investimentos e trará toda semana uma entrevista com gestores que estão se destacando dentro da lista de fundos da plataforma digital da XP.

Créditos:

Infomoney

%d blogueiros gostam disto: