Confira! – PC/SP – Auxiliar de Papiloscopista – Comentários

Olá pessoal,

No dia de ontem não estava bem de saúde, por isso não participei da correção da prova ao vivo realizada pelo Estratégia Concursos. Seguem os meus comentários às questões da prova.

No geral, foi uma prova com questões de padrão fácil e médio e uma ou outra questão de maior dificuldade, daquelas que o examinador coloca para todo mundo errar, cobrando um fato ou conhecimento de menor relevância e/ou de baixa divulgação pela mídia nacional e internacional.

Agradeço mais uma vez aos elogios dos nossos alunos e as muitas mensagens que recebi informando que gabaritaram ou tiveram um excelente desempenho nas disciplinas. Quem fez o nosso curso completo e estudou adequadamente, foi muito bem nas provas.

Sucesso no concurso!

Grande Abraço,

Prof. Leandro Signori

 

CONHECIMENTOS GERAIS

 

  1. A maior investigação da Polícia Federal sobre corrupção conduzida até hoje no Brasil é conhecida por Operação

(A) Lava Jato.

(B) Satélite.

(C) Carne Fraca.

(D) Prato Feito.

(E) Curitiba.

COMENTÁRIOS:

A maior investigação da Polícia Federal sobre corrupção conduzida até hoje no Brasil é conhecida por Operação Lava Jato.

A Operação Satélite é derivada da Lavo Jato, teve como alvo pessoas ligadas ao ex-presidente do Senado Renan Calheiros, ao atual presidente da Casa, Eunício Oliveira, e aos senadores Valdir Raupp e Humberto Costa. Os parlamentares não foram alvos de mandado. A Operação Carne Fraca investigou as maiores empresas do ramo de carnes, como a JBS, acusadas de adulterar a carne que vendiam nos mercados interno e externo. A Operação Prato Feito investigou fraudes em desvios de verbas que deveriam ser utilizados para a merenda no estado de São Paulo. Por fim, não houve e não há uma Operação Curitiba.

Gabarito: A

 

  1. O juiz Sérgio Fernando Moro ganhou repercussão atuando em processos que apuram, entre outros crimes, corrupção envolvendo empresários e políticos. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Moro disse apoiar as “10 medidas contra a corrupção”, um projeto de autoria do Ministério Público Federal no combate à corrupção, além de defender a restrição do foro privilegiado. É correto afirmar que o magistrado se tornou nacionalmente conhecido atuando na

(A) segunda instância: Superior Tribunal de Justiça.

(B) segunda instância: Tribunal Regional Federal da 4a Região.

(C) primeira instância: 13a Vara Criminal Federal de Curitiba.

(D) primeira instância: 13a Vara Criminal Federal de Brasília.

(E) primeira instância: 10a Vara Criminal Federal de Curitiba.

COMENTÁRIOS:

O juiz Sérgio Fernando Moro se tornou nacionalmente conhecido atuando, na Operação Lava Jato, na primeira instância da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba.

Gabarito: C

 

  1. Foi ministro do Superior Tribunal de Justiça, tendo permanecido nessa corte até 2012, ano em que assumiu o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. Ganhou repercussão nacional ao se tornar relator de um famoso processo envolvendo vários políticos em casos de corrupção. Faleceu em Paraty, município do estado do Rio de Janeiro, em 2017. É correto afirmar que o enunciado se refere a

(A) Alfredo Buzaid.

(B) Teori Zavascki.

(C) Miguel Reale.

(D) Ayres Britto.

(E) Cunha Melo.

COMENTÁRIOS:

O enunciado se refere à Teori Zavascki.  O ocorrido se tornou bastante notório na época, pois Teori Zavascki, além de ministro do STF, era relator da Operação Lava Jato.

Gabarito: B

 

  1. As “Diretas Já” tinham como principal bandeira a recuperação do direito de votar para presidente. Em 2 de março de 1983, o deputado federal Dante de Oliveira apresentou uma proposta de Emenda Constitucional que propunha a realização de eleições diretas para presidente em dezembro do ano seguinte. A Emenda Constitucional foi finalmente a voto no dia 25 de abril de 1984. Ela precisava de 320 votos para ser aprovada, mas só obteve 298, pois 112 deputados não compareceram para votar. A emenda foi derrubada, apesar de toda mobilização nas ruas.

(Nexo. https://www.nexojornal.com.br/. 26.03.2016. Adaptado)

Após o movimento das “Diretas Já”, o primeiro presidente eleito pelo voto direto foi

(A) Fernando Henrique Cardoso.

(B) Itamar Franco.

(C) Ulisses Guimarães.

(D) Fernando Collor de Mello.

(E) José Sarney

COMENTÁRIOS:

O “Diretas Já”, foi um grande movimento da sociedade por eleições presidenciais diretas no Brasil ocorrido durante os anos de 1983 e 1984. Já era o final do regime militar e a base do movimento foi a aprovação de emenda constitucional apresentada pelo deputado federal Dante de Oliveira reestabelecendo as eleições diretas para presidente da República.

A emenda constitucional não foi aprovada no Congresso Nacional. A eleição para presidente se deu de forma indireta, pelo Colégio Eleitoral, sendo eleito Tancredo Neves, que não chegou a governar o Brasil. Veio a adoecer, não tomando posse, e depois faleceu. Quem governou o Brasil foi o vice-presidente eleito, José Sarney.

Apesar da grande importância do movimento “Diretas Já”, somente em 1989 ocorreram as eleições diretas para Presidente da República no Brasil, sendo eleito Fernando Collor de Mello, que iria renunciar posteriormente sob forte pressão popular e em meio a um processo de impeachment. Mesmo assim, o processo de impeachment prosseguiu e foi aprovado. Em seu lugar, Itamar Franco, vice de Collor, assumiu a presidência de República.

Fernando Henrique Cardoso sucedeu a Itamar Franco, foi eleito e reeleito presidente do Brasil. O seu mandato foi de 1995 a 2002.Ulisses Guimarães não foi presidente da República.

Gabarito: D

 

  1. Entre os desafios enfrentados pelo Brasil durante o processo de redemocratização na década de 1980, é correto destacar

(A) a demarcação dos limites territoriais na região amazônica.

(B) o repatriamento de militares expulsos pela Lei da Anistia.

(C) a conjuntura econômica interna dominada pela deflação.

(D) o fortalecimento político de milícias com ideologia marxista.

(E) a crise provocada pelo enorme endividamento externo.

COMENTÁRIOS:

Ao final do regime militar a economia brasileira enfrentava muitos problemas. Um desses problemas era o enorme endividamento externo, que persistiu por muitos anos em governos civis posteriores. Foi um dos desafios econômicos enfrentados por um Brasil que se redemocratizava.

O país também enfrentava outros problemas econômicos, como a inflação elevada, o desemprego alto, o baixo crescimento econômico e o déficit das contas públicas.

Gabarito: E

 

  1. A polícia do estado norte-americano do Texas foi acionada nesta sexta-feira (18.05.2018) para atender relatos de tiros na escola de ensino médio Santa Fe High School, e autoridades locais disseram que o bairro do colégio estava em isolamento devido a um incidente envolvendo um atirador ativo. O governador do Texas, Greg Abbott, disse que 10 pessoas foram mortas e outras 10 ficaram feridas no ataque que ele chamou de “um dos mais hediondos” na história das escolas do estado.

(Terra. https://www.terra.com.br. 18.05.2018. Adaptado)

O episódio descrito estimula os debates nos Estados Unidos sobre

(A) as disparidades socioeconômicas entre o norte e o sul do país.

(B) a ampliação do fanatismo religioso islâmico.

(C) a necessidade de reavaliar as regras para o porte de armas nos EUA.

(D) a ilegitimidade da presidência de Donald Trump.

(E) a falência do sistema educacional estadunidense.

COMENTÁRIOS:

Anualmente, diversos casos semelhantes ao descrito no enunciado ocorrem nos Estados Unidos. Segundo políticos, especialistas e formadores de opinião, a facilidade de acesso e porte de armas de fogo é causa da ocorrência do tipo de chacina descrita no caput da questão.

Os Estados Unidos é um dos poucos países no mundo que possui tão poucas restrições para o porte de armas, e, não coincidentemente é também o único onde ocorrem frequentemente episódios como o descrito acima.

Muitos analistas também se posicionam contra a opinião de que facilidade de acesso e porte de armas de fogo é a causa dessas chacinas. Entretanto, a questão não pergunta qual é a causa, mas qual discussão esse episódio estimula.

Episódios como esse estimulam o debate sobre a necessidade de reavaliar as regras para o porte de armas nos EUA.

Gabarito: C

 

  1. O número de mortes em conflitos agrários cresceu 15% em 2017 na comparação com o ano anterior, num total de 70 assassinatos. De acordo com a Comissão Pastoral da Terra (CPT), que divulgou os dados nesta quarta-feira (23 de maio de 2018), trata-se do maior número desde 2003. Dentre as mortes registradas, a pastoral destaca quatro massacres que ocorreram na Bahia, Mato Grosso, Pará e Rondônia, resultando em 28 assassinatos. O estado do Pará lidera o ranking de 2017 com 21 pessoas assassinadas, dez no massacre de Pau D’Arco, seguido pelo estado de Rondônia, com 17, e pela Bahia, com 10 assassinatos.

(CartaCapital. https://www.cartacapital.com.br. 23.05.2018. Adaptado)

Uma das justificativas para a violência no campo brasileiro relaciona-se

(A) à minifundiarização da produção de matérias-primas agrícolas.

(B) ao processo histórico de concentração fundiária.

(C) à coletivização das terras improdutivas prevista na Constituição.

(D) ao avanço das monoculturas em direção das periferias urbanas.

(E) à industrialização de áreas remotas do território nacional.

COMENTÁRIOS:

A estrutura fundiária brasileira é extremamente concentrada. A concentração da propriedade da terra é um dos traços marcantes do campo brasileiro, cujas origens remotas encontram-se no modelo de colonização da América portuguesa. Esse padrão concentrador serviu como base para a configuração da agricultura moderna brasileira, que exibe nítida dicotomia entre grandes e pequenos estabelecimentos rurais. Essa desigualdade é, segundo especialistas, a causa de grande parte dos conflitos no campo, entre trabalhadores sem-terra e grandes proprietários rurais.

Gabarito: B

 

  1. Um turista desavisado pode achar que é pegadinha ao ser atendido na portaria de um hotel em Tóquio por um robô com rosto e roupa de mulher. Mas a cena é real. É uma pequena amostra de um gigantesco experimento em curso no Japão: a criação da chamada Sociedade 5.0, em que boa parte do trabalho humano será substituída por computadores e robôs. O Japão decidiu transformar sua sociedade em um laboratório tecnológico por um motivo extremo.

(Estadão. https://link.estadao.com.br. 28.01.2018. Adaptado)

O “motivo extremo” apontado pela reportagem para os vultosos investimentos japoneses na robotização de sua sociedade consiste

(A) na fragilidade da legislação do país sobre os limites da biotecnologia.

(B) no déficit em qualificação profissional dos trabalhadores japoneses.

(C) no enfrentamento do processo de envelhecimento populacional.

(D) na baixa produtividade dos setores industriais tradicionais do Japão.

(E) no recente tsunami que atingiu o continente asiático.

COMENTÁRIOS:

O enunciado fala sobre a substituição do trabalho humano pelo trabalho robótico, um cenário futurístico que está cada vez mais perto da realidade. O Japão é um país rico e com alto grau de desenvolvimento humano. Enfrenta um grande dilema em relação à sua estrutura populacional: o país está envelhecendo. Devido à diminuição da taxa de natalidade e fecundidade associados ao aumento da esperança de vida, a população em idade idosa só aumenta, ao passo que a população jovem está diminuindo. Esse cenário é comum em países desenvolvidos e ricos, com baixo grau de pobreza como em vários países da União Europeia, Canadá e Austrália.

Poucos jovens e muitos idosos na população significa menos gente em idade ativa para o trabalho. Com isso, a robotização do trabalho é apontada como uma alternativa a esse problema demográfico, e tem sido incentivada no Japão.

Ademais, as outras alternativas não fazem muito sentido. Mesmo que houvesse, a fragilidade da legislação do país sobre os limites da biotecnologia não seria o motivo pelo qual a robótica do país se desenvolve, pois é um ramo muito benéfico para a sociedade. Por ser um país rico e desenvolvido, com um ótimo grau de escolarização, não enfrenta déficit em qualificação profissional dos trabalhadores japoneses e não possui baixa produtividade dos setores industriais tradicionais do Japão, pelo contrário ela é alta.

Gabarito: C

 

  1. O ir e vir entre a capital paranaense e as cidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) mudou na última década. Se antes as cidades da RMC eram dormitórios, hoje atraem muitos profissionais que optam por morar na capital, com sua infraestrutura completa, e trabalhar nos municípios vizinhos.

(Gazeta do Povo. https://www.gazetadopovo.com.br. 19.12.2012. Adaptado)

O deslocamento populacional evidente no excerto é denominado

(A) migração pendular.

(B) êxodo rural.

(C) nomadismo.

(D) migração urbano-rural.

(E) transumância.

COMENTÁRIOS:

O deslocamento populacional descrito no enunciado é a migração pendular, um conceito super clássico da geografia trabalhado até mesmo no ensino fundamental.

A migração pendular é muito comum nas grandes regiões metropolitanas do Brasil. Após realizar a atividade profissional ou cumprir a carga horária de estudo, essas pessoas retornam para as cidades onde residem. O nome pendular vem de pendulo, imitando o movimento de ida e volta realizado por um pendulo.

A migração pendular está essencialmente vinculada ao mercado de trabalho e educacional e é fruto da segregação urbana e da concentração das atividades produtivas em determinados espaços, como as grandes e médias cidades e a cidade central das regiões metropolitanas.

Gabarito: A

 

  1. Várias organizações humanitárias alertaram nesta segunda-feira (05.02.2018) os países que recebem refugiados sírios no Oriente Médio e no Ocidente contra o retorno forçado destes à Síria. As ONGs lamentaram em um relatório uma tendência alarmante a favor das expulsões. De acordo com o mesmo informe, um número três vezes superior de sírios foram obrigados a abandonar suas casas no ano passado. Para o ano de 2018, são esperados 1,5 milhão de deslocados adicionais.

(Istoé. http://istoe.com.br. 05.02.2018. Adaptado)

A crise dos refugiados sírios tem origem

(A) na consolidação de um Estado teocrático cristão na Síria.

(B) no apoio bélico russo a grupos extremistas do Oriente Médio.

(C) na intervenção militar dos Estados Unidos em apoio ao governo sírio.

(D) nos desdobramentos da Primavera Árabe no país.

(E) no controle estatal das regiões sírias produtoras de petróleo.

COMENTÁRIOS:

A crise dos refugiados sírios tem origem nos desdobramentos da Primavera Árabe, que levou o país para uma sangrenta guerra civil, iniciada em 2011. Por causa da guerra, mais de 5 milhões de pessoas tiveram que fugir do país.

A Síria não é um Estado teocrático e a maioria da sua população é muçulmana, os cristãos são minoria no país. Os russos não apoiam grupos extremistas no Oriente Médio. Os Estados Unidos também não apoiam o governo sírio, são contrários ao governo de Bashar al Assad. Por fim, a crise não tem origem no controle estatal das regiões sírias produtoras de petróleo.

Gabarito: D

 

ATUALIDADES

 

  1. A audiência de conciliação designada pela ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber durou cerca de três horas e reuniu representantes do governo federal, do governo de Roraima, da Defensoria Pública da União e de organizações de defesa dos direitos humanos. A governadora de Roraima, Suely Campos, apresentou uma proposta que prevê ressarcimento, por parte do governo federal, de R$ 184 milhões de reais aos cofres do estado. O valor, segundo ela, é referente a recursos gastos desde 2016 nas áreas de saúde, educação e segurança por causa da migração de venezuelanos.

(EBC, 18 mai.18. Disponível em: . Adaptado)

Antes da proposta de ressarcimento, a demanda originalmente apresentada pelo governo de Roraima estava relacionada

(A) à ruptura das relações diplomáticas entre os países.

(B) à distribuição dos imigrantes venezuelanos por outros estados.

(C) à triagem socioeconômica no acesso de venezuelanos ao Brasil.

(D) à expulsão do Brasil dos imigrantes venezuelanos ilegais.

(E) ao fechamento da fronteira do Brasil com a Venezuela.

COMENTÁRIOS:

A audiência designada pela ministra Rosa Weber, a pedido da governadora de Roraima, teve originalmente como proposta o fechamento da fronteira do Brasil com a Venezuela. O governo federal disse que a proposta de fechamento da fronteira é inegociável. Em resposta, a governadora de Roraima, Suely Campos, apresentou uma proposta que prevê ressarcimento, por parte do governo federal, de R$ 184 milhões de reais aos cofres do estado.

Gabarito: E

 

  1. O presidente da Petrobras, Pedro Parente, pediu demissão na manhã desta sexta-feira (1o de junho de 2018) em caráter “irrevogável e irretratável”. Parente ficou exatamente dois anos no comando da Petrobras, já que tomou posse no dia 1o de junho de 2016.

(G1, 1 jun.18. Disponível em: . Adaptado)

A decisão de Pedro Parente, ocorrida após a paralisação dos caminhoneiros, teve como fundamento

(A) o impacto nos recursos financeiros da Petrobras ocasionado pela queda no consumo de combustíveis.

(B) o questionamento sobre a política de preços da Petrobras adotada durante a sua gestão.

(C) a oposição com relação à decisão do governo federal em subsidiar a produção de combustíveis.

(D) o comprometimento da balança de pagamentos do governo federal devido à estatização de refinarias.

(E) a crítica pública que a Petrobras recebeu do governo federal, responsabilizando-a pela crise.

COMENTÁRIOS:

Pedro Parente, ex-presidente da Petrobras, pediu demissão em meio à forte pressão que sofreu durante a greve dos caminhoneiros. O movimento colocou no centro do debate a política de preços de combustíveis da estatal que foi adotada durante a sua gestão.

Uma das reivindicações dos grevistas era a redução no preço do óleo diesel, com críticas à Petrobras pela extrema volatilidade e elevação dos preços, com variações diárias ou quase diárias.

Essas variações e elevações diárias ou quase diárias se iniciaram com a nova política de formação de preços, implantada em julho de 2017, na gestão de Pedro Parente. A base para a definição dos preços passou a ser as oscilações dos preços do barril de petróleo no mercado internacional e do dólar que variam diariamente e estão em alta no mercado internacional.

Gabarito: B

 

  1. O Fundo Monetário Internacional (FMI) avalia como avançadas as negociações para um acordo com o país, que solicitou uma linha de crédito “stand-by” para combater uma recente crise cambial e seguir adiante com as reformas econômicas do governo.

(Valor, 4 jun.18. Disponível em: . Adaptado)

A notícia aborda a situação econômica

(A) chilena.

(B) colombiana.

(C) argentina.

(D) paraguaia.

(E) uruguaia.

COMENTÁRIOS:

A notícia aborda a situação econômica da Argentina. O país está em meio à uma turbulência financeira com uma “fuga” de dólares do país, a forte desvalorização da sua moeda e a elevação da taxa básica de juros. Como as reservas internacionais de dólares da Argentina são baixas, o país teve que recorrer a um empréstimo do FMI, para ter dólares suficientes para honrar os pagamentos de parcelas de seus empréstimos internacionais.

Gabarito: C

 

  1. O supremo líder do Irã, aiatolá Ali Khamenei, afirmou nesta segunda-feira (4 de junho de 2018) que qualquer um que lançar um míssil contra o país “será atingido por dez” em resposta. Além disso, Khamenei minimizou os temores de um eventual ataque, qualificando isso apenas como “propaganda” do Ocidente.

(Exame, 4 jun.18. Disponível em: . Adaptado)

As tensões entre o Irã e o Ocidente ressurgiram desde que

(A) o Irã interviu na questão Palestina, defendendo o direito dos palestinos ao seu próprio Estado nacional.

(B) os EUA decidiram bombardear a Síria e passaram a ameaçar a hegemonia iraniana sobre o Oriente Médio.

(C) os EUA acusaram o Irã de financiar as ações do Estado Islâmico e dar abrigo a grupos fundamentalistas.

(D) a União Europeia colocou em dúvida o acordo nuclear com o Irã por sentir-se ameaçada pelo país persa.

(E) o presidente Donald Trump retirou os EUA do acordo nuclear das potências mundiais com o Irã.

COMENTÁRIOS:

As tensões entre o Irã e o Ocidente ressurgiram desde que o presidente Donald Trump retirou os EUA do acordo nuclear estabelecido entre potências mundiais com o Irã.

Em 2015, o Irã e o grupo de países denominado de 5+1 (EUA, França, Reino Unido, Rússia e China + Alemanha) chegaram a um acordo sobre o programa nuclear do país. O Irã se comprometeu a limitar suas atividades nucleares em troca do alívio em sanções internacionais, abrindo o caminho para uma normalização da presença do país no cenário internacional.

Em 2018, entretanto, os Estados Unidos anunciaram a sua retirada do acordo articulado pelo ex-presidente Barack Obama. Com a saída do acordo, os EUA retomaram a aplicação de sanções econômicas ao Irã em seu mais alto nível.

Gabarito: E

 

  1. A comunidade mais abalada pelo vulcão foi isolada após a decretação de uma nova retirada obrigatória na quinta-feira (31 de maio de 2018), quando a erupção chegou à sua quarta semana sem fim à vista. Autoridades da Defesa Civil haviam dito que cerca de dois mil moradores foram retirados no início da erupção atual, que começou no dia 3 de maio. Mas a estimativa é de que o número total de deslocados tenha subido para cerca de 2500. A erupção de vulcão chegou à 4a semana.

(UOL, 1 jun.18. Disponível em: . Adaptado)

Pelo menos 62 pessoas morreram e 300 ficaram feridas após a erupção do Vulcão de Fogo neste domingo (3 de junho de 2018), que provocou uma nuvem de pequenas pedras e cinzas que cobriu a região da capital do país. A expectativa oficial é de que o saldo de mortes aumente. A maioria das vítimas morreu queimada devido aos rios de lava e à avalanche de detritos que chegaram a temperaturas perto de 700 ºC, atingindo o vilarejo mais próximo do vulcão.

(Folha de S. Paulo, 3 jun.18. Disponível em: . Adaptado)

As duas erupções ocorreram, respectivamente, no

(A) Havaí e na Guatemala.

(B) Afeganistão e na China.

(C) Paquistão e no Japão.

(D) Alasca e na Sibéria.

(E) México e no Nepal.

COMENTÁRIOS:

Tendo conhecimento de apenas um dos fatos já era possível resolver a questão, pois não há países repetidos nas alternativas apresentadas.

A primeira notícia se refere à erupção do Vulcão Kilauea no Havaí, que começou em maio e foi até o mês de junho. Muitos nativos foram deslocados e muitas construções destruídas, mas não se registrou nenhuma morte.

A segunda notícia trata da erupção do Vulcão de Fogo, na Guatemala. Foi a maior erupção dos últimos anos, onde se registraram dezenas de mortes e centenas de pessoas ficaram feridas.

Gabarito: A

Crédito:

Estratégia Concursos

Baixe o conteúdo completo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *