Chefe do serviço de vídeo do Alibaba renuncia em meio a investigação

O presidente do serviço de streaming de vídeo do Alibaba Group Holding Youku renunciou nesta terça-feira

Por
Reuters

access_time

4 dez 2018, 12h13

Pequim – O presidente do serviço de streaming de vídeo do Alibaba Group Holding Youku renunciou e acredita-se que esteja conversando com autoridades chinesas como parte de um possível caso de corrupção, informou a empresa nesta terça-feira.

A saída abrupta ocorre em meio a uma reforma mais ampla dos executivos do Alibaba, enquanto a empresa reforça a sua liderança após o anúncio do presidente Jack Ma de que irá se aposentar no próximo ano.

Yang Weidong, que estava na Youku há cerca de cinco anos, ingressou na empresa antes de ser totalmente adquirida pelo Alibaba em 2015. Anteriormente, trabalhou na fabricante de computadores chinesa Lenovo Group Ltd.

“Entende-se que (Yang) deve ajudar as autoridades da China Continental a investigar um suposto caso de busca de benefícios econômicos”, disse uma porta-voz do negócio de mídia digital e entretenimento do Alibaba.

A empresa se recusou a dar detalhes sobre a conexão de Yang com o caso ou a dizer quando ele deixou a empresa ou quais autoridades poderiam estar conversando com ele. Yang não pôde ser contatado imediatamente para comentar.

A Comissão Central de Inspeção Disciplinar (CCDI), a agência de controle de corrupção da China, não estava imediatamente disponível para comentar depois de horas na terça-feira.

Fan Luyuan, atual diretor-executivo e presidente da unidade cinematográfica Alibaba Pictures, assumiu o papel de Yang, disse a empresa.

O Alibaba tem investido pesadamente em seus negócios de mídia digital e entretenimento em meio à feroz concorrência, incluindo o serviço do Baidu iQiyi.

A unidade, que supervisiona a Youku e os negócios de filmes e ingressos do Alibaba, prometeu investir 7,2 bilhões de dólares nos três anos que antecedem o ano de 2020.

A substituição abrupta de Yang também ocorre em meio a uma repressão mais ampla à corrupção e à evasão fiscal por parte das autoridades, tendo como alvo a indústria cinematográfica chinesa.

A limpeza foi desencadeada depois que o ator de primeira linha Fan Bingbing, que apareceu em franquias de filmes “X-Men” e “Homem de Ferro”, foi acusado de evasão fiscal e subsequentemente desapareceu da vida pública por várias semanas no começo deste ano.

Fan já foi condenado a pagar 884 milhões de iuanes (129 milhões de dólares) em impostos e multas em atraso, informou a mídia estatal em outubro. Fan aceitou publicamente a punição e se desculpou com seus fãs em uma postagem na mídia social.

(function(d){var id=”facebook-jssdk”;if(!d.getElementById(id)){var js=d.createElement(“script”),ref=d.getElementsByTagName(“script”)[0];js.id=id,js.async=true,js.src=”https://connect.facebook.net/pt_BR/all.js”,ref.parentNode.insertBefore(js,ref)}})(document)

Fonte: Exame

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *