Bolsas de NY caem em dia de realização, mas garantem alta semanal

SÃO PAULO  –  (Atualizada às 19h03) As bolsas de Nova York tiveram uma sessão morna nesta sexta-feira (13), acentuando a baixa na última hora dos negócios. Apenas 5,7 bilhões de ações trocaram de mãos hoje em Wall Street, fazendo desta a sessão de giro mais fraco até agora em 2018 — o giro médio diário para o ano é de 7,4 bilhões de ações. 

Apesar do início positivo da temporada de balanços, com os resultados de J.P. Morgan, Wells Fargo e Citigroup em linha ou acima do esperado, o setor financeiro (-1,6%) teve um dia negativo e conduziu as perdas em Wall Street. Para alguns analistas, parte do movimento é uma realização de lucros ante o desempenho da quinta (12), quando os bancos tiveram forte alta em antecipação à divulgação dos balanços.

O Dow Jones fechou em baixa de 0,50%, aos 24.360,14 pontos, o S&P 500 caiu 0,29%, aos 2.656,30 pontos, e o Nasdaq recuou 0,47%, aos 7.106,64 pontos. Wells Fargo, com baixa de 3,4%, e o J.P. Morgan, com recuo de 2,7%, figuraram entre as ações de pior desempenho.

Mesmo com a cautela ditando os negócios de hoje, na semana o Dow Jones acumulou ganho de 1,8%, S&P 500 avançou 2% e Nasdaq subiu 2,8%. No ano, o Dow Jones ainda cai 1,45%, o S&P 500 recua 0,65%, enquanto o Nasdaq sobe 2,94%. 

Um dos setores de melhor desempenho da semana no S&P 500 foi o de tecnologia, afetado no mês passado com o escândalo de privacidade do Facebook, o que gerou receios de regulamentação mais rígida para o segmento. As ações do Facebook subiram 0,4% nesta sexta-feira, para US$ 164,52 por ação, e alcançou o maior ganho percentual em uma semana desde março, após seu presidente, Mark Zuckerberg, testemunhar no Congresso americano durante dois dias.

As tensões geopolíticas também seguem injetando certa ansiedade nos investidores, embora concretamente nenhum avanço em torno da Síria tenha ocorrido. 

Entre as commodities, o petróleo subiu, atingindo o melhor desempenho semanal em oito meses, puxado por temores de um conflito militar na Síria liderado pelos EUA. Relatório da Agência Internacional de Energia (AIE) também mostrou que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) deve conseguir, em breve, alcançar sua meta de reduzir o excesso de oferta global.

Os contratos do Brent para junho subiram 0,8%, a US$ 72,58 por barril, na ICE, em Londres, acumulando ganhos de 8,2% na semana. Já os do WTI para maio avançaram 0,5%, a US$ 67,39 por barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex), com aumento de 8,6% na semana, maior alta desde julho.

Créditos:

Valor

%d blogueiros gostam disto: