Usuário da Uber relata ter sido vítima de racismo por motorista e empresa se pronuncia

SÃO PAULO – Em uma publicação feita em seu perfil do Facebook, o fotógrafo Vinícius Ferreira conta que foi vítima de racismo de um motorista do Uber, que também é negro.

Ao voltar de uma festa próxima à rua da Consolação, em São Paulo, Vinícius pediu um Uber e conta que logo após entrar no carro, o motorista, ao invés de seguir o caminho até o destino do usuário, parou atrás de uma viatura da Polícia Militar que estrava próxima, “50 metros depois” de onde havia sido apanhado.

Em entrevista ao InfoMoney, ele conta que o motorista ligou antes de chegar aonde estava e que confirmou o lugar. Ao ver que o carro chegava e reconhecer o motorista, Vinícius contou que entrou no veículo e que o motorista agia de “forma estranha”. “Ele estava dirigindo rápido e eu não sabia porquê”, contou. “Quando ele parou, imaginei que ele fosse pedir informação, ver algo no mapa”. 

“Eu perguntei o motivo e ele só disse ao policial que se aproximou do carro: ‘Eu sou motorista da Uber e achei esse passageiro suspeito’”, contou Vinícius na publicação. Ele diz que o policial ordenou que ele saísse do carro para fazer a revista, além de fazer perguntas como onde ele havia comprado seu celular. “Depois de ver se eu tinha passagem, o motorista foi embora”, ele conta. “Ninguém me explicou o que tinha ocorrido, porque eu estava ali ou porque isso aconteceu”.

Em um printscreen do recibo da corrida, é possível ver que ela durou apenas três minutos e que a distância percorrida foi de meio quilômetro.

O jovem publicou um vídeo posteriormente ao ocorrido em que conta que vai seguir com a denúncia e que, depois de ter publicado o relato em seu perfil, recebeu uma ligação da Uber em que uma funcionária conta que o motorista responsável seria banido do aplicativa e que Vinícius ganharia um bônus de R$ 20 no aplicativo. Ele entretanto, nos contou que não pretende utilizar o aplicativo novamente: “você fica traumatizado”.

Vinicius voltou a São Paulo nesta quarta-feira (14) e abriu um boletim de ocorrência na 78ª Delegacia Policial de São Paulo. 

Procurado pelo InfoMoney, o Uber divulgou uma onta em que diz que “este tipo de comportamento não é tolerasdo e já tomamos as providências necessárias em relação ao motorista parceiro”. Leia na íntegra abaixo:

“Definitivamente esta não é a experiência que a Uber deseja oferecer a seus usuários. Este tipo de comportamento não é tolerado e já tomamos as providências necessárias em relação ao motorista parceiro para que situações como essa não se repitam.

Os motoristas parceiros usam a plataforma para benefícios individualizados, de forma independente e autônoma, de acordo com seu interesse e disponibilidade. Eles são motoristas autônomos totalmente independentes.”

Confira, abaixo, a publicação e o vídeo publicados por Vinícius em seu Facebook:

Uber


(eskay / Shutterstock.com)

Créditos:

Infomoney

%d blogueiros gostam disto: