Tratamento para doenças respiratórias inclui boas noites de sono

A má qualidade do sono contribui de forma significativa para o aumento de doenças respiratórias nas pessoas, como ronco e apneia. Quando o indivíduo não dorme pelo menos oito horas por dia, passa a sofrer com outros problemas, como indisposição, fadiga, sonolência e riscos de sofrer complicações cardiorrespiratórias. Isso porque o sono é um estado de repouso necessário, em que ocorre a suspensão das atividades perceptivo-sensorial e motora voluntária.

Nesse período, acontece um repouso para corpo e mente, com a consciência em estado inativo de forma parcial ou total. Durante essa etapa, o organismo realiza importantes atividades para a nossa saúde, como o fortalecimento do sistema imunológico, liberação de hormônios e melhora da memória. Além disso, a pele fica mais bonita e ocorre o relaxamento da musculatura.

As doenças respiratórias atingem um grande número de pessoas que têm problemas para dormir. A apneia obstrutiva, por exemplo, atinge mais de 30% da população brasileira. A doença impede a respiração durante o sono, contribuindo para o avanço de outras doenças nas pessoas, como obesidade, problemas circulatórios, diabetes e, em alguns casos, AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Já o ronco atinge de 20% a 60% da população brasileira, atrapalhando a qualidade do sono das pessoas. Além dos perigos que o ronco pode causar, o problema pode gerar conflitos com o parceiro que divide a cama com a pessoa, contribuindo para possíveis brigas. O ideal é procurar um especialista da área para fazer o tratamento.

De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária, grande parte dos acidentes de trânsito que ocorrem no período noturno tem relação com a falta de atenção, fadiga e sonolência, que são sintomas de pessoas que sofrem com problemas de insônia. Para ter um diagnóstico completo, a pessoa deve realizar exame de polissonografia, no qual sensores colocados no corpo do indivíduo avaliam a qualidade do sono.

Dicas para ter uma boa noite de sono

Alguns hábitos ajudam a melhorar a qualidade do sono, sem a necessidade de aumentar as horas de descanso. A dica é sempre otimizar o sono para se sentir descansado no outro dia para trabalhar, praticar exercícios físicos, entre outros compromissos. Veja, abaixo, as sugestões para que a falta de sono não prejudique a rotina diária:

  • É preciso ter horários regulares para dormir e despertar, o que ajuda a contribuir para uma rotina saudável de descanso;
  • A pessoa deve ir para a cama apenas para dormir, sem ficar com o notebook conectado à internet, ou então levar um livro de cabeceira, por exemplo. Esse cuidado contribui para um início de sono de qualidade;
  • É necessário dormir em um ambiente adequado, que seja limpo, escuro, confortável e sem barulho;
  • A escolha de um bom colchão contribui e muito na melhora do sono, pois o conforto é essencial para o descanso;
  • Não consumir álcool ou café antes de dormir. Alguns chás e refrigerantes também devem ser evitados;
  • Não tomar medicamentos para dormir sem orientação médica;
  • Jantar de forma moderada, dando preferência a alimentos leves;
  • Tentar não levar problemas do cotidiano para a cama;
  • Praticar atividades físicas diariamente.
%d blogueiros gostam disto: