Os melhores setores para abrir uma franquia em períodos de crise

SÃO PAULO – Como o Brasil está passando por uma desaceleração econômica, muitas empresas deixam de investir no país e milhares de brasileiros estão perdendo os seus empregos.

Mas ao invés de se desesperar, especialista afirmam que, na verdade, são nos momentos de baixa do mercado que as pessoas devem aproveitar para investir e ter ganhos superiores no longo prazo.

“Agora é a hora de abrir um negócio”, afirma o Luis Henrique Stockler, sócio-fundador da ba}Stockler, empresa de consultoria em gestão. “Uma empresa leva de quatro a seis meses para estar pronta para a inauguração e isso vai ser bem na pior fase da crise, depois disso, a tendência é melhorar”.

Uma boa opção para quer empreender em momentos difíceis é a franquia, pois já oferece uma base consolidada da franqueadora, que oferece o produto ou serviço, a estratégia de mercado, parâmetros financeiros, treinamentos, sistemas e métodos praticamente prontos.

Segundo dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising), em 2014, o setor cresceu 7,7%. “Como mostram os indicadores, o mercado de franquias é o último a entrar em dificuldades e o primeiro a sair”, explica Cristina Franco, presidente da entidade.

“Nossa expectativa para 2015 é de um crescimento de cerca de 8%, recompondo perdas inflacionárias e abrindo espaço para uma expansão mais vigorosa nos próximos anos”. No primeiro trimestre deste ano, o mercado de franquias cresceu 9,2% em faturamento e 9,4% em número de unidades franqueadas.

Stockler afirma que os setores de vestuário, calçados e acessórios talvez sejam os que sofram um pouco mais com a situação atual, pois as pessoas tendem a gastar menos com esses produtos.

Já os de alimentação, saúde, bem-estar, educação e serviços automotivos são aqueles para ficar de olho, pois prometem se sair bem em 2015. As pessoas aproveitam momentos ruins para investir mais em educação e se posicionar melhor no mercado de trabalho; saúde é sempre a última coisa a ser cortada em um orçamento; bem-estar ajuda na autoestima da população que está preocupada com a economia nacional; o setor automotivo deve se beneficiar com o mercado aquecido e benefícios oferecidos pelo governo há alguns anos; e com o estilo de vida do brasileiro que está comendo mais fora de casa, principalmente no horário do almoço, revela um mercado promissor para as empresas do setor de alimentação. 

Créditos: Infomoney

%d blogueiros gostam disto: