O que faz um escrevente judiciário?

Carreira é uma das mais populares para quem deseja trabalhar em tribunais

Antes de prestar um concurso, é sempre importante saber as atribuições da vaga que você deseja. O cargo de escrevente judiciário é muito concorrido pela excelente remuneração e pelo fato de você poder trabalhar em um renomado tribunal. O TJ-SP, por exemplo, é um dos principais tribunais e recebe um grande volume de processos. O órgão é responsável por julgar causas que não se enquadram em uma justiça específica (Federal, Militar, Eleitoral ou do Trabalho).

Para demonstrar a concorrência do concurso do TJ-SP, tomemos como base o certame de 2012. Foram 233.434 inscritos para apenas 1.035 vagas. A carreira de escrevente é uma das mais populares, até mesmo porque exige apenas que o candidato tenha Ensino Médio completo.

De acordo com o art. 152 do código de processo civil, são atribuições do escrevente judiciário: redigir na forma legal os ofícios, os mandados, as cartas precatórias e os demais atos que pertençam ao seu ofício; efetivar as ordens judiciais, realizar citações e intimações, bem como praticar todos os demais atos que lhe forem atribuídos pelas normas de organização judiciária; comparecer às audiências ou, não podendo fazê-lo, designar um servidor para substituí-lo; manter sob sua guarda e responsabilidade os autos, não permitindo que saiam do cartório; fornecer certidão de qualquer ato ou termo do processo, independentemente de despacho, observadas as disposições referentes ao segredo de justiça; praticar, de ofício, os atos meramente ordinatórios.

Na prática, podemos dizer que o escrevente vai trabalhar no suporte administrativo em cartórios e audiências, auxiliando os juízes, atendendo o público e os advogados e expedindo uma série de documentos, como mandados de intimação, ofícios e alvarás. O profissional que trabalha com o juiz deve transcrever tudo aquilo que é dito em uma audiência pelos participantes para, dessa forma, garantir o cumprimento de todas as fases do processo.

A remuneração depende do tribunal em que você vai trabalhar. O edital TJ-SP, lançado em março deste ano e com prova prevista para julho, definiu que o salário inicial é de R$ 4.473,16, com acréscimo de auxílios para alimentação, saúde e transporte. A jornada de trabalho é de oito horas por dia (40 horas semanais).

Para o concurso de 2017 o TJ-SP oferece 590 vagas, sendo 434 para livre concorrência, 38 para pessoas com deficiência e 118 para candidatos negros. O certame de 2017 foi dividido em duas fases: a primeira será uma prova objetiva composta por 100 questões de múltipla escolha de caráter classificatório e eliminatório. Já a segunda fase será composta por uma prova prática de digitação e formatação de caráter eliminatório.

%d blogueiros gostam disto: