Leilões são aliados na hora de economizar

Os leilões já são muito conhecidos na cultura popular. Uma pessoa anuncia um preço inicialmente baixo para um produto, enquanto outras fazem lances, aumentando tal valor. Aquele que tiver o lance mais alto no final adquire o produto pelo preço oferecido.

Existe uma ideia de que esses eventos levam a preços exorbitantes, sempre com produtos únicos, mas a verdade é que a maioria permite que o comprador arremate um lote ou produto por um preço bem abaixo do mercado.

Conhecendo os leilões certos e o tipo de produto que se deseja comprar, é possível economizar bastante na compra. Seja em produtos menores, como roupas e móveis, ou em aquisições maiores, como casas e carros. Há também a possibilidade de participar de leilões online – alternativa que vem ganhando espaço no mercado.

Exemplos de leilões

Pátios de carros

Os leilões de carros usados e seminovos já são comuns em várias partes do país, especialmente em grandes cidades. Vários carros adquiridos após acidentes ou apreendidos em operações policiais são arrumados, limpos e anunciados para leilão. Aqui, você poderá conseguir um bom modelo por um preço inferior ao de mercado mesmo para um usado.

Imóveis da Caixa

A Caixa Econômica Federal promove leilões de imóveis com certa frequência. Geralmente, vêm de compradores que não honraram a dívida de um financiamento, tendo que leiloar o imóvel para arcar com o débito. É possível encontrar casas, apartamentos e até imóveis comerciais.

Joias e itens penhorados

Penhorar um objeto é semelhante a pedir um empréstimo com garantia. Casas de penhores oferecem uma determinada quantia de dinheiro, recebendo algum objeto em penhora, geralmente joias, carros, itens de colecionador ou mesmo imóveis. É uma alternativa para quem deseja conseguir recursos financeiros sem vender um de seus bens. Quando o dinheiro não é devolvido, o item é leiloado, não havendo mais a dívida.

Leilão da Receita Federal

Vários bens são apreendidos em dívidas não pagas e recuperações de roubo. Quando eles não podem ser devolvidos aos seus donos, são leiloados para evitar que se acumulem e gerem alguma verba para a Receita no processo. Como o objetivo é principalmente colocar os objetos em circulação no mercado, não é difícil encontrar itens de baixo custo.

Cuidados e precauções

  • Questões judiciais em andamento: alguns bens, principalmente imóveis, podem estar passando por algum processo judicial, geralmente de disputa pela posse. Adquirir bens nesse estado é consideravelmente arriscado, pois o antigo proprietário pode recuperar a posse do imóvel, por exemplo. E nem sempre há garantia de que o valor pago no leilão será retornado.
  • Avaliação dos bens: nem todos os leilões permitem que os compradores avaliem a mercadoria de perto antes de comprar. Em alguns pátios de carros, por exemplo, só é permitido olhar de fora, sem dar partida no motor para ver se funciona. Quanto mais próxima for a avaliação permitida aos compradores, maior será a garantia de que o produto será de qualidade.
  • Procedência dos produtos: por fim, é importante tomar cuidado com leilões ilegais. Alguns deles utilizam mercadorias roubadas, o que pode provocar sérios problemas judiciais. Por exemplo, a polícia pode apreender o bem sem que haja reembolso do valor pago.
%d blogueiros gostam disto: