Fox formaliza oferta de US$ 14,6 bilhões para comprar Sky – 15/12/2016 – Mercado

A 21st Century Fox, de Rupert Murdoch, formalizou sua oferta pela tomada de controle integral da Sky, o que prenuncia uma batalha contra os acionistas independentes menores e um possível duelo com as autoridades regulatórias do Reino Unido e da Europa.

A oferta foi formalizada por cerca de US$ 14,6 bilhões. A oferta de 10,75 libras por ação, com pagamento integralmente em dinheiro, pelos 61% da Sky que o grupo de mídia americano ainda não controla, avalia a empresa em 18,5 bilhões de libras, e surge apenas uma semana depois que a Fox abordou a Sky com uma oferta. A Fox prometeu pagar uma “substancial” indenização por desistência caso abandone a transação.

A controvertida tomada de controle acionário é parte de uma nova fase de consolidação na mídia, propelida pela mudança nas tecnologias de distribuição e nos hábitos de consumo de mídia dos espectadores. Como a recente oferta de US$ 86 bilhões da AT&T pela Time Warner, uma combinação entre Fox e Sky uniria uma companhia de produção de conteúdo a uma distribuidora que opera conexões via satélite, banda larga e telefonia móvel com milhões de consumidores. Em 2014, a Fox tentou sem sucesso adquirir a Time Warner.

A Fox declarou que “como acionistas fundadores da Sky, nos orgulhamos de ter participado de seu crescimento e desenvolvimento. A razão estratégica para essa combinação é clara. Criará um líder mundial na criação e distribuição de conteúdo, ampliará nossa escala no esporte e no entretenimento e nos propiciará capacidades e tecnologias únicas, e líderes, de contato direto com o consumidor”.

Essa não é a primeira vez que Murdoch tenta adquirir controle completo da Sky. Em 2011, a News Corp foi forçada a abandonar uma oferta de 7,8 bilhões de libras pela empresa devido à indignação pública no Reino Unido quanto a um escândalo de escutas telefônicas ilegais de parte de um de seus jornais.

A mais recente oferta da Fox, que não mudou ante o preço acertado na semana passada, mostra ágio de 36% ante o preço de fechamento das ações da Sky em 8 de dezembro, o dia anterior ao anúncio de que as empresas estavam negociando. No entanto, as ações da Sky estavam sendo negociadas em patamar semelhante em fevereiro, e a oferta da Fox representa ágio de 20% ante o preço médio dos seis últimos meses.

De lá para cá, as ações da Sky caíram à sua mais baixa cotação em quase quatro anos, por conta da queda acentuada no valor da libra, exacerbada pelo referendo que decidiu pela saída britânica da União Europeia, em junho. Isso tornou a Sky um alvo mais atraente para a Fox.

Alguns acionistas menores se pronunciaram contra a transação, argumentando que ela subestima o valor da Sky. Standard Life, Jupiter Asset Management e Royal London questionaram o preço de oferta.

Tradução de PAULO MIGLIACCI

Créditos:

Folha

%d blogueiros gostam disto: