Fiesp, PT e CUT trocam acusações após vandalismo em manifestação – 14/12/2016 – Mercado

A depredao da sede da Fiesp (Federao das Indstrias do Estado de So Paulo) durante protesto a aprovao da PEC do teto de gastos nesta tera (13) gerou uma srie de acusaes entre a entidade, o PT e a CUT.

Em nota em resposta ao ataque sofrido, a Fiesp afirmou que a ao foi liderada por “vndalos que portavam bandeiras do PT e da CUT” –eles negam qualquer relao com a depredao.

A federao dos industriais, presidida pelo peemedebista Paulo Skaf, fez campanha pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. O prdio da entidade foi um dos principais pontos de protesto de manifestantes que defendiam a sada da petista.

De acordo com a federao, a tentativa de invaso colocou em risco funcionrios e frequentadores do local, que tambm abriga um centro cultural. A ao aconteceu por volta das 20h.

“A Fiesp lamenta profundamente o episdio. E lamenta ainda mais que uma minoria violenta ainda acredite que a depredao seja uma maneira razovel de manifestar posies polticas ou ideolgicas”, diz, em nota.

Em sua defesa, a CUT acusou a organizao patronal de “leviandade” e “m-f”, enquanto o partido disse que “mais uma vez os que sempre atacam o PT querem de novo que paguemos o pato”.

“Assistimos s imagens exibidas pelas televises vrias vezes. Em nenhuma delas vimos bandeiras, camisetas ou bons da CUT. Vimos apenas pessoas vestidas com roupas vermelhas”, afirma a entidade, tambm em nota.

A central defende que todos os protestos que coordena so pacficos e organizados em reunies com comandantes da Polcia Militar.

CONTRA-ATAQUE

Para a CUT, as acusaes da Fiesp so “uma tentativa de desmoralizar e desacreditar entidades comprometidas com os direitos da classe trabalhadora”.

Os sindicalistas tambm classificam a federao patronal como “uma das principais responsveis pelo golpe” e afirma que vndalo “quem ataca direitos sociais e trabalhistas”, em referncia ao apoio da entidade aprovao da reforma da Previdncia e da CLT.

Questionada pela Folha sobre a posio da central, a Fiesp limitou-se a dizer que “as imagens falam por si”. A CUT no respondeu ao contato da reportagem.

O ato acabou com duas pessoas detidas, uma por depredao e outra por desacato, de acordo com a PM.

A Fora Sindical tambm se manifestou sobre o confronto. Em nota, a entidade condenou a depredao do prdio e atribuiu a ao a “provocadores que buscam criar caldo de cultura apropriado criminalizao dos movimentos sociais e dos manifestantes pacficos”.

Créditos: Folha

%d blogueiros gostam disto: