É seguro investir em uma franquia em tempos de crise?

SÃO PAULO – Abrir e manter uma empresa é mais difícil do que muitos esperam. Estatísticas sobre Taxas de Mortalidade de Negócios mostram que 26% dos negócios de varejo desaparecem antes de completarem o primeiro ano de vida do negócio; seguido pelos pequenos negócios (23%) e pelas franquias (3%).

Segundo o especialista em franchising Marcus Rizzo e analisando os dados, as franquias são as mais seguras já que apresentam um menor numero de falências. Porém, existem fatores que podem levar ao fechamento da unidade e outros que podem ajudar a superar o primeiro ano. Confira:

Erro 1 – Caixa Pequeno
O maior desafio de muitos franqueados é dinheiro para investir no negócio e, na maioria das vezes, nada sobra para iniciar a operação que exige no início mais dinheiro ainda.
“A razão número um, aquela mais apontada por franqueados que quebraram foi falta de capital de giro para iniciar e tocar o negócio. Logo no primeiro mês faltou dinheiro para pagar fornecedores, salários e locação. Estas despesas vieram inteiras, ao contrário das receitas que chegaram parceladamente e incompletas”, afirma Rizzo.
Lição para aprender: não basta ter o capital para investir no negócio, é necessário ter uma reserva adicional para levantar o negócio. Se você não tem o capital de giro exigido para o negócio, não entre.

Erro 2 – Subestimando a importância da “barriga no balcão”
A segunda causa, apontada pelos franqueados que quebraram, foi a constante ausência na condução do negócio. Eles entraram no negócio achando que poderiam delegar a condução para sócios, filhos, funcionários, sogro, periquito ou papagaio e, em alguns casos achavam que como estavam numa franquia caberia ao franqueador resolver este problema. 
Lição para aprender: para qualquer negócio, mas especialmente em franquias, vale o ditado – “é o olho do dono que engorda o gado”, explica o especialista.

Erro 3 – Mudando o negócio
Alguns novos franqueados utilizam sua experiência anterior para escolher uma franquia, ou seja, na mesma área de conhecimento. Já bem antes de inaugurar utilizaram a experiência para questionar as orientações do franqueador. Desde a escolha do ponto, projeto de arquitetura e até o programa de treinamento. 
“Depois de inaugurar continuaram a utilizar a experiência anterior para modificar produtos, serviços e fornecedores e rapidamente descaracterizaram o negócio que acabou fechando”.
Lição para aprender: o modelo de franquia é para inexperientes. Experientes montam o negócio próprio e de forma independente.

Erro 4 – Localização inadequada
Localização inadequada foi mortal para estas franquias e, em especial para aquelas onde o investimento nas instalações foi alto, pois exigem muitos consumidores para gerar vendas e retorno do capital. Local inadequado é aquele que não gera consumidores suficientes para o negócio acontecer.
“Todos questionaram o mix de produtos e serviços que invariavelmente foi considerado errado para aquele local. Na verdade o mix estava adequado ao negócio, mas o mercado onde o negócio foi localizado é que estava errado”, afirma Rizzo.
Lição para aprender: nunca adapte o negócio ao ponto comercial, mas sempre busque o ponto adequado ao conceito da sua franquia.

Acerto 1 – Busque uma franquia com a qual tenha forte identificação
Esqueça aquelas dicas e indicações do que está em alta ou o que está em baixa. A verdade é que franquias dão certo porque interessados possuem antes de tudo uma forte identificação com o negócio e com os produtos e serviços comercializados.
“Esta identidade é transformada em dedicação e envolvimento, que é a mola geradora do sucesso. Pior do que ter um emprego que você não goste é ter um negócio com o qual não se identifica. Na dúvida fique com o emprego, pois o negócio tem tudo para desaparecer”.

Acerto 2 – Entre em contato direto com franqueador
Se a franquia que você está avaliando utiliza intermediários na venda você já está recebendo o primeiro sinal de alerta: se o franqueador não está preparado para vender será que estará adequadamente equipado para entregar aquilo que foi vendido por um intermediário?
Intermediários, corretores ou consultores costumam ser movidos pela comissão e muitas vezes eles acabam prometendo e concordando com você mesmo naqueles pontos que não deveriam concordar.

Acerto 3 – Avalie o Franqueador 
verifique qual apoio você receberá antes da instalação e implantação da franquia, como seleção e negociação do ponto para instalar o negócio, projetos de arquitetura e instalação e fornecedores habilitados para equipamentos e mobiliário.

Acerto 4 – Treinamento
É pelo treinamento que você pode avaliar o grau de conhecimento do franqueador sobre o negócio e sua capacidade de transferi-lo. Um treinamento adequado cobre todas as atividades do chamado “front-office” (da vitrine ao balcão) e também o “back-office” (do balcão ao estoque).

Acerto 5 – COF (Circular de Oferta de Franquias)
Através da COF (Circular de Oferta de Franquias) o franqueador deve fornecer detalhadamente informações sobre o negócio, contratos e a lista completa de todas as franquias da rede incluindo aqueles que se desligaram há pelo menos um ano.
Com estas informações é possível avaliar a lucratividade esperada pelo negócio e se preparar.

Acerto 6- Converse com franqueados do negócio escolhido 
Para finalizar é muito importante antes de decidir sobre o negócio é conversar com quatro franqueados. Dois com menos de dois anos e outros dois com mais de dois anos no negócio.
Estes franqueados vão contar tudo o que acontece depois da franquia inaugurada e em operação e, sob uma perspectiva prática de quem já esteve onde você está.

Créditos: Infomoney

%d blogueiros gostam disto: