E-commerce em alta: O que falta saber?

A cada semestre e a cada ano o comércio eletrônico ganha mais uma deliciosa fatia do mercado. E, se for usar essa “imagem culinária” diria que existem muitos sabores (nichos) para se deliciar.

Nem é preciso dizer o quanto a economia brasileira sofre um mau momento com dados nada agradáveis, como a alta da inflação, aumento da taxa de desemprego e redução do PIB. Mas, por outro lado, a internet ganhou maior destaque e espaço.

Hoje as grandes empresas, por mais que possuam lojas espalhadas em diversas cidades do país já apostam no e-commerce. Para ter ideia, instituições fortes como o Bradesco e o Itaú investem pesado no sistema Internet Banking.

Ainda que sejam poucos os exemplos, os mesmos são bastante consistentes para dizer que: ninguém, mesmo que insista, consegue fugir da realidade virtual. Se você ainda insiste em não acreditar confira alguns dados a seguir que separei para você.

E-commerce no Brasil: Quem clicou em 2015?

Segundo levantamento do Ebit (que avalia o mercado eletrônico no Brasil) 103,4 milhões de usuários possui acesso à internet em seus domicílios enquanto 17,6 milhões de consumidores virtuais realizaram, ao menos, uma compra no primeiro semestre de 2015.

Para quem gosta de relatórios (números específicos), 38% dos usuários virtuais tem o hábito de visitar uma loja para comparar preços (isso quando não pesquisam em sites especializados em busca) e, a maioria, realiza suas compras através do smartphone e tablet, respectivamente.

Tecnologia Mobile em alta

Esta palavra já está ganhando o seu espaço em nosso glossário de Marketing Digital e é o mesmo que móvel. Ou seja, é representada, basicamente, pelos smartphones e tablets. Estas tecnologias também conhecidas como dispositivos móveis estão sendo cada vez mais utilizadas em relação aos note, net ou ultrabooks, por exemplo.

Com o surgimento dos aplicativos e desenvolvimento dos softwares, estes dispositivos ganham maior responsabilidade pelo acesso e ações na internet por parte da população. Segundo levantamento do Ebit, em 2015 das compras realizadas pela internet 10,1% foram por meio da tecnologia mobile.

Para incrementar os dados, 83% destes utilizam o Wi-Fi de casa, ou seja, buscam o acesso seguro já que, em uma compra será necessário fornecer dados pessoais importantes. Em contrapartida, 39% dos usuários mobiles aproveitam o Wi-Fi do trabalho para fazer o acesso à internet e, logo, realizar suas compras.

E, para fechar este quesito, o estudo ainda revela que 8 em cada 10 usuários possuem smartphone e 4 entre cada 10 pessoas possuem tablet. Em outras palavras, pode-se dizer que o mundo digital está cada vez mais palpável e que cabe confortavelmente em nossas mãos. E isso deve ser muito levado em conta para quem está ou pretende adentrar o mundo do comércio eletrônico digital (mais abaixo falarei sobre isso).

Quais foram os produtos mais comprados?

Eu sei que você ansiava por este momento. Mesmo em um ano considerado péssimo para o comércio devido à crise econômica, o e-commerce registrou um significativo faturamento em setores como a telefonia (54%), seguida pelos Eletrodomésticos (25%). Não muito distante encontra-se a moda e acessórios que registrou 15% em volume de pedidos.

Tendências do E-commerce

Listei, abaixo, algumas ações importantes para quem quer se destacar no mercado eletrônico a partir de agora.

Site Responsivo

O que era um detalhe hoje é essencial. Com o avanço da tecnologia mobile você deve pensar, a todo o momento, na disposição do layout de sua página para os dispositivos móveis. Antes de se preocupar com temas bonitos, preocupe-se primeiro com os temas responsivos que adéquam o conteúdo do seu site para uma boa visualização na versão mobile.

Mais Black Friday, menos Natal

Até certo tempo atrás, datas comemorativas como o Natal eram tudo para o comércio. Mas com o crescimento da internet e a adoção da cultura americana, datas como a última sexta-feira de novembro (Black Friday) se tornaram substanciais. Aposte em datas que antecedem feriados e datas comemorativas, com bastante antecedência, para realizar bons negócios.

Compreenda os desejos do seu público

Lembre-se que as pessoas chegam ao seu negócio virtual, munidas pelo desejo. Desta forma, busque analisar as características do seu público para oferecer melhores produtos e serviços. Estratégias simples como pesquisa individual de opinião sobre o que o cliente achou durante e após uma compra ou mesmo a realização de enquetes são extremamente valiosas. Saiba que o seu público vai gostar e se sentir importante por ter que dar a sua opinião.

E, para fechar, minha dica é: por mais que você saiba sobre determinado nicho, mantenha a sua mente aberta para captar novas informações e ideias inovadoras. Sucesso!

Crédito: Getty Images

Gau Figueirêdo
Bacharel em Filosofia, Microempresária e Redatora.
Contribuo, aqui, no “Jornais Virtuais” todos os domingos nas colunas: Empreendedorismo e Sociedades
Meu blog “http://reflexosmentais.wordpress.com/”
Gau Figueirêdo

Gau Figueirêdo

Bacharel em Filosofia, Microempresária e Redatora. Contribuo, aqui, no "Jornais Virtuais" todos os domingos nas colunas: Empreendedorismo e Sociedades Meu blog "http://reflexosmentais.wordpress.com/"

%d blogueiros gostam disto: