Dunkin’ Donuts volta para o Brasil; conheça mais sobre a história da marca

SÃO PAULO – No último sábado (9), a cafeteria Dunkin’ Donuts abriu sua loja em Brasília, marcando o seu retorno para o Brasil, após deixar suas operações no País há 10 anos.

O retorno da companhia havia sido anunciado em março do ano passado, sendo que a empresa funcionou em território nacional até 2005, quando os negócios começaram a ter problemas. Desde então, alguns pontos antigos foram assumidos pela empresa Café Donuts.

Apesar de problemas no Brasil, a companhia é famosa no exterior por espalhar pelo mundo um dos símbolos da gastronomia norte-americana: os donuts – rosquinhas, normalmente cobertas por açúcar, mas também podem ser recheadas com geleia, chocolate, creme e até podem incluir ingredientes salgados.

A história da marca começou em 1946 quando o fundador, William Rosenberg, criou a Industrial Luncheon Services , uma empresa de entrega de lanches e cafés para funcionários de fábricas no subúrbio da cidade de Boston.

Entre os itens vendidos estava o donut, que fez tanto sucesso entre os trabalhadores, que horário do lanche das indústrias na região da região passou a ser ajustado de acordo com o itinerário do seu caminhão de entrega.

Incentivado pelos clientes, Rosenberg abriu uma loja em 1948, na cidade de Quincy, em Massachusetts, chamada Open Kettle. O nome só foi alterado para Dunkin’ Donuts em 1950, onde os donuts eram vendidos a cinco centavos de dólar e o café a dez centavos.

Apesar de ter sido batizado de Dunkin’ Donuts somente depois, ideia para o nome surgiu ainda enquanto ele vendia café nas fábricas. Para facilitar o consumo, o produto vinha envolto no açúcar e o café simples, sem açúcar, era servido em uma xícara grande e larga, chamada pelos americanos de “mug”. Os clientes, então, mergulhavam a guloseima no café antes de saboreá-lo – mergulhar em inglês é “to dunk”, ou seja, Dunkin’ Donuts significa, de forma livre, “mergulhando o donut”.

Expansão
O sucesso da loja foi tanto que quatro anos depois já existiam outras cinco unidades espalhadas pela região. Não demorou muito apara surgirem as franquias: em 1955, foi aberta a primeira na cidade de Worcester, localizada também no estado de Massachusetts.

Já a primeira loja da rede no exterior foi inaugurada em 1961 em Quebec, no Canadá; dois anos depois já eram 100 lojas em funcionamento. A década de 70 foi inaugurada o primeiro Dunkin’ Donuts fora da América, no Japão e, em 1979, foi inaugurada a loja de número mil da rede.

Nos anos 60, mais especificamente em 1966, foi criada a DDU (Dunkin’ Donuts University), que tinha como objetivo ensinar, treinar e padronizar futuros funcionários e franqueados da empresa.

A rede chegou ao Brasil em 1983 e permaneceu por 22 anos até 2005, quando a marca começou a apresentar problemas no País e contrato de master franquia foi quebrado para poder adaptar a franquia ao gosto brasileiro. Algumas das antigas lojas foram assumidas pela marca Café Donuts.

Venda
Na década de 90, a empresa foi vendida para a britânica Allied Domecq e assumindo o posto de maior vendedor de donuts do mundo, com a inauguração da loja de número 2.000 nos Estados Unidos.

A partir daí, a Dunkin’ Donuts diversificou seu cardápio com a introdução de inúmeros itens salgados, incluindo opções para o café da manhã. Os clientes gostaram das novidades e, em 1999, a rede comemorou a marca de 8 bilhões de xícaras de café vendidas desde sua inauguração. No ano seguinte, foi a vez de comemorar a inauguração de sua loja de número cinco mil, em Bali, na Indonésia.

Hoje, a rede conta com mais de 10.500 unidades espalhadas por 31 países, que atendem cerca de 5 milhões de consumidores por dia, que consumem em torno de 2,5 milhões de donuts – que possui mais de 70 variedades. A Dunkin’ Donuts fatura US$ 6,5 bilhões por ano.

Dunkin’ Donuts

Créditos: Infomoney

%d blogueiros gostam disto: