Doria chama grevistas de preguiçosos: acordem cedo!

Prefeito disse que vai cobrar o pagamento da multa fixada ao sindicato dos motoristas de SP

Por
Da redação

access_time

28 abr 2017, 16h57

O prefeito de São Paulo, João Doria, criticou hoje as greves deflagradas por centrais sindicais e movimentos sociais contra as reformas trabalhista e da Previdência. Doria disse que os grevistas não conseguiram bloquear seu acesso ao trabalho, pois ele acorda cedo.

“Volto a dizer a esses grevistas que tentaram bloquear meu acesso: acordem mais cedo, vagabundos, porque o prefeito acorda cedo e trabalha muito”, disse ele em entrevista à rádio Joven Pan.

Ele há havia dito antes que não era “grevista que dorme, é preguiçoso e acorda tarde”. “Eu não sou Jaiminho, não.”

Doria disse que iria cobrar da Justiça a cobrança da multa fixada para o Sindicato dos Motoristas de São Paulo, que descumpriu a decisão de manter um percentual mínimo de ônibus circulando nas ruas.

“Vamos cobrar multas dos sindicatos que romperam a ordem e determinação da Justiça. Vamos cobrar as multas, meio milhão de reais para a paralisação de ônibus. Podem estar certos que multa será cobrada”, disse.

A Prefeitura de São Paulo conseguiu uma liminar contra a greve dos motoristas. De acordo com decisão da 9º Vara do Trabalho de São Paulo, o sindicato deve manter frota mínima de 80% dos ônibus da rede municipal de transporte para linhas com itinerários que passem por hospitais e demais casas de cuidado à saúde, além de 60% para os horários de pico (das 6h às 9h e das 17h às 19h) durante o dia de amanhã .

A liminar obriga o sindicato a manter frota mínima de 40% nos demais horários (fora dos picos da manhã e da tarde) em linhas que não passem por instituições de saúde. Em caso de descumprimento, foi fixada multa de 500 mil reais por hora.

CORTE DE PONTO DOS GREVISTAS

Sobre o corte de ponto, Doria afirmou que os servidores que faltarem o dia todo terão o dia de salário descontado do pagamento.

Mas afirmou que era preciso ter “condescendência” com horário. “Haverá absoluta tolerância para situações de atraso.”

Créditos:

VEJA

%d blogueiros gostam disto: