Dedicação exclusiva! Deixei o emprego e consegui a aprovação!

dicas-estudo-concursos_f_003Se você sente o impulso de deixar seu emprego e se dedicar apenas aos estudos para ser finalmente aprovado no concurso público dos seus sonhos, mas tem medo de tentar, nós da Nova Concursos trouxemos uma entrevista especial com uma ex-concurseira que teve coragem de apostar e conseguiu ser aprovada.

Por questões de privacidade pessoal e profissional, não divulgaremos o nome da servidora pública que tão gentilmente concordou em compartilhar suas experiências de vida para que outros concurseiros possam se inspirar e finalmente tomar uma decisão sobre a questão “deixar o emprego e se dedicar aos concursos”.

GN: Por que decidiu prestar um concurso público?

AVC: Eu decidi prestar concurso público por acreditar que os contornos da carreira pública se encaixam mais adequadamente no meu perfil. A mim agrada em especial a ideia de estabilidade, aliada a outros fatores, tais como salário atrativo, jornada de trabalho em horários fixos, benefícios etc. A partir do momento em que, ainda estudante de Direito, pude ter uma noção mais fidedigna das possibilidades dentro do mundo jurídico, de pronto me decidi pelo serviço público, apenas oscilando entre uma carreira e outra, por conta de maiores ou menores afinidades com as respectivas atribuições.

GN:  Foi difícil tomar a decisão de deixar o emprego para estudar?

AVC: Sim. A dedicação exclusiva aos estudos demanda uma série de fatores, principalmente estabilidade emocional. Acredito que, nessa situação, inconscientemente criamos uma maior pressão para que possamos ser aprovados o mais breve possível no concurso público relacionado à carreira dos sonhos. No entanto, muitas variáveis devem ser consideradas na hora de decidir pela dedicação exclusiva aos estudos. No meu caso especificamente, recém-formada, solteira e morando com os meus pais, pude contar com o suporte financeiro deles, o que pesou bastante para que eu optasse por deixar o meu emprego. Claro que isso é possível em diversas outras situações; basta que haja planejamento. O concursando precisa ter convicção dos seus objetivos e consciência de que levará certo tempo para alcançá-los.

GN: Houve apoio familiar e de amigos quando decidiu se dedicar ao projeto concurso público?

AVC: Sim. Tive apoio familiar, incluindo suporte financeiro por parte dos meus pais, bem como apoio de amigos, principalmente pelo fato de que grande parte deles se encontrava na mesma situação que a minha, dedicando-se exclusivamente aos estudos para concursos públicos.

GN: Qual foi sua estratégia (durante o tempo de estudo)?

AVC: Durante certo período eu fiz um curso preparatório para concursos públicos. Procurei me dedicar a todas as matérias, principalmente àquelas em que vislumbrava maiores dificuldades e pouca afinidade. Depois, munida das anotações de aula, pude aprofundar o estudo através da leitura dos livros recomendados e da posterior elaboração de resumos para complementação daquelas anotações. Paralelamente, adquiri um daqueles livros de testes e questões de concursos e o respondi integralmente, procurando sanar as dúvidas junto às minhas anotações e aos resumos feitos. Sempre que possível, procurava responder às questões de provas anteriores de concursos públicos ligados à carreira que eu almejava ou mesmo às correlatas.

GN: Qual foi a maior dificuldade, desde o início do preparo até a aprovação?

AVC: Sem dúvida foi ter que lidar com a ansiedade causada pela rotina de estudos. Aquele que almeja ser aprovado em um concurso público precisa ter em mente que todo dia é dia de estudo. Inclusive sábados e domingos. Evidentemente, é necessário arejar a mente e ter momentos de lazer e descanso, mais isso não implica se afastar dos livros nos finais de semana. A vida social acaba inevitavelmente se restringindo por um tempo, mas logo é retomada após a aprovação, então é preciso ter foco.

GN: Um conselho para o concurseiro que está em dúvida em deixar o emprego para estudar para um concurso.

AVC: Faça um planejamento financeiro e um planejamento de estudos e verifique a viabilidade de tomar essa decisão. Analise todas as variáveis presentes, como, por exemplo, as possibilidades concretas de ocorrência em data “confortável” do concurso público que se almeja prestar. Pese todos os prós e contras e procure decidir com calma e convicção.

Créditos:

Nova Concursos

%d blogueiros gostam disto: