Como engenheiros da NASA podem nos ajudar a aumentar a produtividade

Por Tahiana D’Egmont

Você trabalha dez ou mais horas por dia e, apesar de todo o esforço e comprometimento, sente-se frustrado, como se nunca fosse possível atingir tudo o que é necessário.

A realidade é que você, assim como eu, é constantemente interrompido por e-mails, ligações, notificações e perguntas rápidas de colegas de trabalho.

A sensação que dá é que o trabalho é mais sobre as interrupções do que sobre os projetos importantes que você precisa realizar, não é mesmo?

O que você já sentia as pesquisas apontam: temos muita interrupção no trabalho

De acordo com a Doutora Marta Gloria Mark, professora da Universidade da Califórnia, Irvine, nós não possuímos “dias de trabalho”, e sim “minutos de trabalho que duram durante todo o dia”.

Seja você um profissional em início de carreira, um executivo, um empreendedor, um consultor ou um freelancer, o resultado é o mesmo: interrupções tiram o foco do mais importante e fazem seu dia de trabalho ser ainda maior e menos produtivo.

Nós gastamos 3 minutos realmente trabalhando em algo e trocamos por em média 2 minutos e 11 segundos de interrupção.

De acordo com uma pesquisa da Basex Research, interrupções causam uma perda de US$588 bilhões à economia nos EUA.

Como diminuir as interrupções e fazer seu trabalho melhor?

Como fundadora de startups, executiva de empresas e consultora de marketing digital, growth hacking e negócios, tenho um interesse extremo sobre como aumentar a produtividade e encontrar um melhor balanço do trabalho com outros aspectos da vida.

Afinal, são vários os meus projetos e sou uma perfeccionista de primeira, então gosto de fazer tudo além das expectativas e no prazo, o que me demanda uma grande energia.

Quantas vezes já me peguei virando noite por ser o momento mais tranquilo (leia-se: sem interrupções)! O problema disso é que afeta a nossa saúde e sem saúde não podemos nem ao mesmo trabalhar.

Algumas descobertas da Doutora Mark foram surpreendentes, como por exemplo a de que pessoas que trabalham em cubículos são menos interrompidas e a de que nós nos interrompemos na mesma proporção em que somos interrompidos.

  1. Delimite seu espaço e o momento de focar: você pode definir que ao ter um post-it de certa cor em seu monitor você não está disposto a falar naquele momento, avise aos seus colegas de trabalho. Se você trabalha de casa a mesma técnica funciona;
  2. Agende um horário aberto para perguntas e interações: você pode determinar 20 ou 30 minutos do seu dia e tornar público a todos os colegas de que esse é o momento em que está sempre disponível para dúvidas ou um café;
  3. Evite distrações próprias: desligue o celular ou deixe-o guardado nos momentos que precisa de foco total, delimite um horário para acompanhar suas atualizações por lá;
  4. Redes sociais e sites de notícia também precisam de um limite claro. Não proponho excluí-los do seu dia a dia, mas determinar horários podem te ajudar a usar esses canais como relaxamento e não como interrupção;
  5. Desabilite as notificações desnecessárias, principalmente aquelas que aparecem diretamente na tela do computador.

Quando a interrupção é positiva: a história da NASA

Um estudo feito com a participação de engenheiros da NASA demonstrou que interrupções podem ser positivas.

Um grupo de 17 engenheiros foi colocado em uma sala para desenhar um veículo espacial. Um ficou interrompendo o outro porque na prática estavam encontrando problemas antes mesmo deles acontecerem e trabalhando em equipe na construção, sem ter que redesenhar o projeto inúmeras vezes.

O resultado é que eles foram capazes de desenhar o veículo especial em 9 horas, versus os 6 meses que normalmente levam para esse tipo de projeto.

Conclusão

Quando as interrupções são puramente focadas na execução do projeto e contribuem para seu sucesso, elas podem existir.

Em outros os outros casos é importante você controlar, e muito, a sua exposição à interrupções.

Créditos: Catho

%d blogueiros gostam disto: