Cielo é a “1ª vítima” do pacote de medidas do governo: ação cai 6,5% em 30 minutos

SÃO PAULO – O governo está anunciando neste exato momento uma série de medidas que visam impulsionar a economia brasileira. Mas mesmo que ainda não tenha terminado de detalhar todas as propostas, uma empresa já começa a derreter na Bovespa: a Cielo (CIEL3).

Das 17h15 às 17h45 (horário de Brasília), as ações da administradora de cartões despencou 6,5%, saindo de R$ 26,35 para R$ 24,62 em apenas 30 minutos, liderando com folga a lanterna do Ibovespa neste pregão (veja imagem abaixo a reação da Cielo).

O motivo pode ser explicado pela proposta do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de permitir que os varejistas cobrem preços diferentes dependendo do meio de pagamento utilizado – na prática, ele vai “legalizar” o desconto que algumas lojas concedem para quem pagar com dinheiro. Essa mudança seria implementada por medida provisória, diz Meirelles.

“A medida é um horror para a Cielo e muito boa para qualquer loja de varejo”, disse rapidamente (pois ele ainda está acompanhando o anúncio das medidas) um gestor que para não ser identificado.

Reação de CIEL3 às medidas anunciadas:

Não é a primeira má notícia que a Cielo foi alvo nesta quinta-feira: ontem mesmo a reforma do ISS, aprovada ontem no Senado, pode significar a retirada de tirar uma “folga” na maneira como a empresa é tributada. Atualmente, a empresa paga 1,5% do imposto graças à sua sede em Barueri, mas, com a nova taxação, essa alíquota poderá subir para próximo de 3%, segundo estimativas dos analistas.

As ações da Cielo caminham para o 6º dia seguido de queda, acumulando até o momento 15% de desvalorização nesse período. Os patamares atuais do papel são os menores desde o começo de março.

Essa matéria será atualizada após o anúncio das medidas do governo com a explicação do impacto em outras ações. Aguarde.

Créditos: Infomoney

%d blogueiros gostam disto: