ARTE NA TERAPIA DA DECORAÇÃO

Olá, hoje venho contar para vocês uma história bem singular e pessoal, porque ela é minha, mas pode ser a história de cada uma de vocês.

Às vezes, em certas épocas de nossa vida, passamos por caminhos mais estreitos, ou com menos luz, ou mesmo difícil de caminhar e bem sei que todas já passaram por eles, sabem por quê? Porque a vida é feita deles e atravessá-los com sucesso, só vai depender de nosso interior, aquele cantinho nosso que possui um GPS particular inserido e o comando é só nosso, e, na hora que solicitarmos algum socorro, tenha a certeza, vamos recebê-lo. A grande diferença é que muita de nós não dá importância ao chamado e continuam, e assim, vão tropeçando e às vezes, vão até cair.arte como terapia

Não sou diferente de ninguém, só que resolvi dar atenção ao meu GPS e comecei a perceber que ele realmente me intui daquilo que posso fazer em determinado momento.

Eu andava meio descrente, embora soubesse que poderia fazer algo, que existia em mim uma capacidade criativa muito viva, e eu é que não estava sabendo como acessá-la, para dar vazão e me beneficiar dela.

Um dia, estava com uma amiga que estudava pintura e já havia em sua galeria algumas obras bem bonitas. Estávamos nós numa loja para comprar telas e tintas e eu, observando aquelas cores, os pincéis, as telas, os livros falando de autores famosos, enfim um clima de total criação estava ali, diante de mim.

Nesse momento, me afastei um pouco e, discretamente, peguei uma tela… das menores, avancei um pouco, tomei uns três ou quatro pincéis e as bisnagas com as cores básicas de tinta. Voltei a me aproximar de minha amiga e mostrei a minha compra para ela que, toda entusiasmada me disse: Isso mesmo, pinte qualquer coisa nessa tela e vai ver como é bom este exercício! E assim eu fiz. Aqui mostro para vocês a minha primeira tela. Ela mede 20 x 15 cm. Eu a copiei de uma página de jornal, isso lá pelos idos de 2006. E não parei mais de pintar e copiar meus artistas mais queridos: os impressionistas, como Monet, Renoir e por aí vai. Hoje já se somaram umas 120 telas, todas minhas filhas diletas.

E onde entra a Terapia nessa história?

É que no momento em que você se dispuser a começar a pintar, naquela hora em que pegar a tela, os pincéis, as tintas e colocar tudo ao seu redor, num cantinho que é só seu, já vai estar se beneficiando da energia pura e criativa que nos toma quando a convocamos ao trabalho.

Agora, nesse começo de ano, quando tudo está se renovando e nós não paramos de almejar coisas novas e promissoras para nossas vidas, eu ofereço a vocês esta sugestão de começar o ano, pintando o que quiser, não se preocupando com a perfeição dos grandes artistas, seguindo apenas a sua mais profunda veia criativa, porque está aí, pode acreditar! Que sejam pinceladas coloridas, que seja um daqueles desenhos que você um dia viu e nunca se atreveu a copiar. Vamos nos dispor ao inusitado, às surpresas que nos esperam quando simplesmente nos abrimos a elas.

%d blogueiros gostam disto: