50% dos homens são afetados pela calvície: conheça os tratamentos mais eficazes

Não há cura para a calvície, mas é possível retardar a queda de cabelos ou até mesmo fazer um implante capilar

A calvície provoca a queda de cabelos de forma progressiva e acontece com mais frequência conforme as pessoas envelhecem. Por múltiplos fatores – herança genética e hormônios –, acomete principalmente os homens. De  acordo com dados da Medical News Today, a calvície masculina afeta de 30% a 50% dos homens no momento em que atingem os 50 anos de idade. O quadro pode desencadear sintomas como ansiedade e até mesmo depressão.

A alopecia androgenética, como é conhecida no meio médico, acontece por fatores genéticos e também por causa do hormônio testosterona. A di-hidrotestosterona (DHT), uma variação do hormônio masculino, age no folículo capilar, provocando a redução de cabelo e a miniaturização dos fios. Com o tempo, eles vão ficando cada vez mais fracos e param de crescer. E esse é justamente o problema. A queda de cabelo, em si, é normal. As pessoas perdem cerca de 50 a 100 fios de cabelo por dia. No caso da alopecia androgenética, a queda de cabelo pode começar já na adolescência, por volta dos 18 anos.

Ciclo de vida do cabelo

Para entender como esse processo funciona, é necessário saber por quais fases o cabelo passa antes da queda. São três: anágena, catágena e telógena. A anágena corresponde ao período de crescimento do cabelo, que pode durar de três a cinco anos. Posteriormente há uma fase de transição, conhecida como catágena. Nela há uma regressão – ou seja, o cabelo “morre”. Por fim, a telógena, quando esse fio que já está morto é substituído por um saudável e novo fio.

O que acontece, no caso da calvície, é que o tempo de duração dessas fases é alterado. A anágena fica mais curta e a telógena, mais longa. Com o passar do tempo, há uma queda mais acentuada de cabelo e os folículos ficam cada vez mais frágeis e finos, até chegar a um estágio em que não conseguem mais produzir cabelo que alcance a superfície da pele.

A má notícia, nesse caso, é que a calvície ainda não tem cura. O que existe são tratamentos medicamentosos para retardar a queda de cabelos. Se você sofre com esse problema, quanto mais rápido procurar ajuda, melhores serão os resultados. Para retomar a autoestima, outra técnica muito procurada pelos homens são os implantes capilares.

No Brasil, há dois tipos de procedimentos cirúrgicos de implante capilar: o FUT (Follicular Unit Transplantation) e o FUE (Follicular Unit Extraction). A diferença é que, no FUT, há a extração de uma faixa de couro cabeludo para a retirada dos fios que serão implantados. O FUE, por sua vez, utiliza um tipo de bisturi para extrair até quatro fios por vez do couro cabeludo. O segundo processo é o mais indicado por proporcionar um pós-operatório menos invasivo.

%d blogueiros gostam disto: